Sejam Bem-Vindos!

"É uma grandiosíssima calúnia dizer que tenho revoltas contra a Igreja. Eu nunca tive dúvidas sobre a Fé Católica, nunca disse nem escrevi, nem em cartas particulares, nem em jornais, nem em quaisquer outros escritos nenhuma proposição falsa, nem herética, nem duvidosa, nem coisa alguma contra o ensino da Igreja. Eu condeno tudo o que a Santa Igreja condena. Sigo tudo o que ela manda como Deus mesmo. Quem não ouvir e obedecer a Igreja deve ser tido como pagão e publicano. Fora da Igreja não há salvação."
Padre Cícero Romão Batista

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Papa aos novos cardeais: "A Igreja é católica porque Cristo abraça toda a humanidade"


consistrionovembro2012Bento XVI presidiu no sábado, 24 de novembro, a celebração do Consistório, na Basílica de São Pedro, em que criou seis novos cardeais.
São eles: dom James Michael Harvey, prefeito da Casa Pontifícia, que Bento XVI nomeou arcipreste da Basílica Papal de São Paulo Fora dos Muros; Sua Beatitude Béchara Boutros Raï, patriarca de Antioquia dos Maronitas (Líbano); Sua Beatitude Baselios Cleemis Thottunkal, arcebispo-mor de Trivandrum dos Sírios-Malancareses (Índia); dom John Olorunfemi Onaiyekan, arcebispo de Abuja (Nigéria); dom Rubén Salazar Gómez, arcebispo de Bogotá (Colômbia) e dom Luis Antonio Tagle, arcebispo de Manila (Filipinas).
Em sua fala, o Papa se deteve sobre o significado do termo católica, que indica um traço essencial da Igreja e da sua missão. “É Cristo que, pelo Espírito Santo, concede à sua Igreja que seja una, santa, católica e apostólica, e é ainda Ele que a chama a realizar cada uma destas qualidades. No nosso caso específico, a Igreja é católica, porque Cristo, na sua missão de salvação, abraça toda a humanidade", disse Bento XVI.
O Papa continuou: "Jesus envia a sua Igreja, não a um grupo, mas à totalidade do gênero humano para, na fé, o reunir num único povo a fim de o salvar, como justamente se exprime o Concílio Vaticano II na Constituição dogmática Lumen gentium - Ao novo Povo de Deus todos os homens são chamados. Este caráter universal aparece claramente no dia de Pentecostes, quando o Espírito Santo cumula da sua presença a primeira comunidade cristã, para que o Evangelho se estenda a todas as nações e faça crescer em todos os povos o único Povo de Deus", frisou o Santo Padre.
"No sulco e na perspectiva da unidade e universalidade da Igreja, situa-se também o Colégio Cardinalício: este apresenta uma variedade de rostos, dado que exprime o rosto da Igreja universal. Desejo, com este Consistório, pôr em evidência de modo particular que a Igreja é Igreja de todos os povos, e por conseguinte exprime-se nas várias culturas dos diversos Continentes. É a Igreja de Pentecostes, que, na polifonia das vozes, ergue um canto único e harmonioso ao Deus vivo", destacou o pontífice.
"Os novos Cardeais, que representam várias dioceses do mundo, ficam a partir de hoje agregados, a título muito especial, à Igreja de Roma e reforçam assim os laços espirituais que unem a Igreja inteira, vivificada por Cristo e cerrada em torno do Sucessor de Pedro. Ao mesmo tempo, o rito de hoje exprime o valor supremo da fidelidade", sublinhou ainda Bento XVI.
"Daqui para diante estareis unidos de forma ainda mais estreita e íntima com a Sé de Pedro: Especialmente através da vossa colaboração com os Dicastérios da Cúria Romana, sereis meus preciosos cooperadores antes de tudo no ministério apostólico a favor da catolicidade inteira, como Pastor de todo o rebanho de Cristo e primeiro garante da doutrina, da disciplina e da moral", frisou o Papa.
"Confiamos ao Senhor o novo serviço eclesial destes prezados e venerados Irmãos, para que possam prestar corajoso testemunho de Cristo, com o dinamismo edificante da fé e o sinal de um incessante amor oblativo", concluiu Bento XVI.
Postar um comentário

Planeta Brasileiro