Sejam Bem-Vindos!

"É uma grandiosíssima calúnia dizer que tenho revoltas contra a Igreja. Eu nunca tive dúvidas sobre a Fé Católica, nunca disse nem escrevi, nem em cartas particulares, nem em jornais, nem em quaisquer outros escritos nenhuma proposição falsa, nem herética, nem duvidosa, nem coisa alguma contra o ensino da Igreja. Eu condeno tudo o que a Santa Igreja condena. Sigo tudo o que ela manda como Deus mesmo. Quem não ouvir e obedecer a Igreja deve ser tido como pagão e publicano. Fora da Igreja não há salvação."
Padre Cícero Romão Batista

terça-feira, 6 de novembro de 2012

Frei Salvador Pinzetta em Roma


Frei_Salvador_PinzettaOs autos originais, em duas cópias autênticas, do inquérito diocesano sobre a vida, as virtudes e a fama de santidade do Servo de Deus, Frei Salvador Pinzetta, já estão em Roma, na congregação das Causas dos Santos.
Tais documentos foram levados para Roma pelo Portador, Dom Frei Ângelo Domingos Salvador. De fato Dom frei Ângelo, que atuara como Vice-Postulador durante o inquérito diocesano, foi nomeado por Dom Alessandro Ruffinoni, bispo de Caxias do Sul, pra a função de Portador oficial e juramentado.
Dom Frei Ângelo com documentação em mãos, viajou dia 26 de outubro de 2012, de Porto Alegre até Lisboa, no voo 3016 da TAP e de Lisboa a Roma no voo 842 da mesma companhia. Chegou em Roma, no aeroproto do Fiumicino,onde foi recebido por Frei Sérgio Dal Moro, recentemente eleito Conselheiro Geral da Ordem Capuchinha, e conduzido ao Colégio Internacional São Lourenço de Brindes,onde provisoriamente funciona também a Cúria Geral dos Capuchinhos.
Dom Frei Ângelo foi Portador oficial de três caixas. Uma caixa, pequena e leve, com 03 cartas, todas endereçadas ao Prefeito da Congregação das Causas dos Santos, que atualmente é o Cardeal Ângelo Amato: A Carta de D. Alessandro Ruffinoni, chamada “Instrumento de Clausura”, com informações ao Cardeal sobre o conteúdo das duas outras caixas; as cartas do Pe. Adelar Baruffi, Delegado Episcopal no Inquérito Diocesano, e a do Pe. João Roberto Masiero, Promotor de Justiça no mesmo Inquérito, com os pareceres pessoais de seus autores sobre a viabilidade de beatificação do servo de Deus, Frei Salvador Pinzetta.
As duas caixas grandes continham duas cópias autênticas dos autos originais do Inquérito Diocesano.  Os referidos autos originais, chamados “arquétipo” estão conservados, em caixa lacrada, na Cúria Diocesana de Caxias do Sul.
A 1ª cópia autêntica, extraída diretamente do “arquétipo”, chamada por isso, “transunto” ou “transposição”, é endereçada e entregue ao Prefeito da Congregação das Causas dos Santos.
A 2ª cópia autêntica, extraída do “transunto”, porque nela há o carimbo: “Confere com original”, chama-se “Cópia Pública”, porque é destinada aos oficiais da Congregação para os devidos estudos da documentação ali oferecida.
As duas caixas, a do “transunto” e a da “Cópia Pública” continham, cada uma, as 1.381 páginas do Inquérito,e pesavam, cada uma, 7 quilos e meio, num total de 15 quilos.
As caixas com as cópias dos autos do Inquérito diocesano foram entregues e protocoladas na Congregação das Causas dos Santos, no dia 29 de outubro de 2012, às 11 horas, na hora de Roma.
Estavam presente na ocasião: o Postulador Geral da Ordem dos Frades Menores Capuchinhos, Frei Florio Tessari; o Vice-Postulador e Portador, Dom Frei Ângelo Domingos Salvador; o Vice-Postulador Adjunto Pe. Álvaro Pinzettta: Frei Hermínio Bezerra e Fábio Pinzetta, irmão do Pe. Álvaro, acompanhantes; e um Oficial da Congregação que assinou com as iniciais J. P. o Protocolo de entrega dos Documentos, o qual recebeu o nº 0717.
O Postulador Geral, Frei Florio Tessari, requereu, através de ofício, a marcação de uma data, possivelmente antes de 15 de novembro, para a abertura oficial das caixas, iniciando assim os trâmites para o estudo da documentação oferecida pelo Inquérito diocesano. Deste modo, Frei Salvador Pinzetta entra oficialmente na lista dos mais de 3.000 processos já existentes na Congregação das Causas dos Santos.
No dia 31 de outubro, houve a costumeira Audiência Pública do Papa Bento XVI, realizada na Praça de São Pedro, não obstante o vento e a chuva. A comitiva ítalo-brasileira da Família Pinzetta, depois de muitas idas e vindas, obteve os bilhetes de ingresso. Ela era composta de 15 brasileiros e 11 italianos da Diocese de Mântua, ocupou um lugar privilegiado: No estrado superior à direita do Papa, distantes dele cerca de 25metros. Faziam parte do grupo brasileiro, o Pe. Álvaro Pinzetta, da Diocese de Caxias do Sul, o Pe. Avelino Pinzetta da Diocese de Passo Fundo, Postulador da Causa de Beatificação de Mons. Benvegnu. No grupo italiano, entre os presentes estava o Sr. Matteo Pinzetta, Prefeito de uma comuna Italiana.
Houve um contratempo frustrante. Antes da audiência, diversos locutores linguísticos anunciaram a presença das diversas delegações. O locutor de língua portuguesa não anunciou a presença da caravana ítalo-brasileira da Família Pinzetta. Em consequência, o Papa também não anunciou a presença da nossa comitiva nas mensagens finais. Dom Ângelo informou-se junto ao locutor português, o qual disse que não recebera a informação da Casa Pontifícia.
Após a Catequese do Papa, na qual ele continuou as reflexões sobre a fé, os Cardeais e Bispos, sentados logo atrás da Cadeira do Papa, foram convidados a cumprimentá-lo, a começar pelo bispos. Dom Frei Ângelo aproveitou a ocasião e disse ao Papa: “Eu sou Dom Ângelo Domingos Salvador, Bispo Emérito de Uruguaiana no Brasil. Vim a Roma como Portador do Inquérito Diocesano sobre o Servo de Deus, Frei Salvador Pinzetta. Seus familiares “Pinzetta”, do Brasil da Diocese de Mântua estão aqui ao lado”, apontando para a Comitiva. O Papa então, gentilmente olhou para a direita e cumprimentou a Comitiva com um simpático aceno de mão, sendo aplaudido efusivamente pela comitiva.
Muito satisfeita, a Comintiva Pinzetta foi almoçar num restaurante na Via Aurélia, nº 40, contando com a presença de Dom Ângelo e do Pe. Orides Belardin, que está em Roma, acompanhando o Processo de Beatificação do Pe. João Schiavo.
Inquérito diocesano
Em 10 de janeiro de 1980, tendo em vista a fama de santidade do Frei Salvador Pinzetta, o Bispo diocesano de Caxias do Sul, Dom Benedito Zorzi autorizou e ordenou o encaminhamento da Causa de Beatificação e Canonização do Frei. No Capítulo Provincial, de 26 a 30 de agosto de 2002, a Província dos Capuchinhos propôs assumir e dinamizar o Processo. É primeiro da Província do Rio Grande do Sul.
Em 13 de abril 2011 foi feita a Abertura oficial do Processo, por Dom Nei Paulo Morreto, com a presença de frades, parentes e amigos. Dom Paulo, por Decreto, escolheu e empossou o Tribunal Eclesiástico Diocesano, encarregado de ouvir testemunhas sobre a vida, virtudes e fama de santidade do Servo de Deus. O Tribunal colheu Provas Testemunhais entrevistando 51 pessoas, parentes, frades e cristãos leigos que o conheceram.
Dom Paulo, por Decreto, nomeou também uma Comissão Histórica. A Comissão colheu Provas Documentais referentes ao Frei Salvador, baseadas nos documentos, escritos e imprensa. A documentação, cerca de 1.500 folhas, foi examinada, autenticada, assinada, carimbada e lacrada.
Concluído o Processo foi realizada a Sessão de Clausura (encerramento) do Inquérito Diocesano referente à vida, virtudes e fama da santidade do Servo de Deus Frei Salvador Pinzetta. Cerca de 250 pessoas: Dom Nei Paulo Moretto, Dom Alessandro Ruffinoni, autoridades, frades, familiares e povo, participaram do ato público, no dia 01 de outubro de 2012, às 10 horas, no Salão Paroquial, de Flores da Cunha-RS.
O Bispo da Diocese de Caxias do Sul, Dom Alessandro Ruffinoni, por decreto, nomeou um portador, Dom Ângelo Domingos Salvador. Ele, acompanhado do Padre Álvaro Pinzetta, Padre Avelino Pinzetta, 15 familiares e mais 11 da família Pinzetta da Itália, entregará toda a documentação à Congregação das Causas dos Santos, em Roma, no dia 29 de outubro de 2012. Os documentos serão examinados, e se aprovados será declarado Venerável Frei Salvador Pinzetta. Com a aprovação de um milagre será beatificado, podendo prestar-lhe culto em determinados locais. E com aprovação de outro milagre será canonizado, podendo ser venerado em todo o mundo.
Postar um comentário

Planeta Brasileiro