Sejam Bem-Vindos!

"É uma grandiosíssima calúnia dizer que tenho revoltas contra a Igreja. Eu nunca tive dúvidas sobre a Fé Católica, nunca disse nem escrevi, nem em cartas particulares, nem em jornais, nem em quaisquer outros escritos nenhuma proposição falsa, nem herética, nem duvidosa, nem coisa alguma contra o ensino da Igreja. Eu condeno tudo o que a Santa Igreja condena. Sigo tudo o que ela manda como Deus mesmo. Quem não ouvir e obedecer a Igreja deve ser tido como pagão e publicano. Fora da Igreja não há salvação."
Padre Cícero Romão Batista

terça-feira, 5 de abril de 2011

Padre baleado em Novo Hamburgo passa por cirurgia e segue internado no Hospital Regina

passeata_contra_violencia_novo_hamburgo
Ainda não há previsão de alta médica para o monsenhor Inácio José Schuster, 41, que foi baleado no rosto, no d
ia 30 de março, durante tentativa de assalto à secretaria da paróquia Nossa Senhora da Piedade, no bairro Hamburgo Velho, em Novo Hamburgo (RS).
O sacerdote continua internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Em entrevista coletiva, o cirurgião bucomaxilofacial, Mário Carlet, informou que o quadro de saúde do padre ainda é considerado grave. Monsenhor Inácio foi operado no centro cirúrgico, com o objetivo de corrigir e reduzir fratura no maxilar superior. Foi colocada uma placa de titânio com seis parafusos no lado esquerdo do maxilar. Segundo Carlet, ainda não é possível afirmar se haverá ou não algum tipo de sequelas. “Foi um tiro à queima-roupa e o padre teve muita sorte em escapar”, assegurou.
O projétil que está alojado no osso temporal, próximo ao ouvido esquerdo, não foi removido. A decisão do grupo cirúrgico pela não remoção da bala levou em consideração que esse tipo de procedimento colocava em risco o padre, até por estar próxima à região cerebral. Carlet também não soube precisar quando haverá uma nova intervenção cirúrgica. “Talvez daqui a alguns meses, um enxerto”, ressalta ele. Schuster recebeu anestesia geral e o quadro se manteve estável durante a cirurgia.
O episódio que deixou ferido Schuster com um tiro ganhou repercussão nacional. Vários e-mails e ligações chegam todos os dias pedindo informações referentes ao seu estado de saúde. Grupos de oração foram organizados pela comunidade. O disparo atingiu seu rosto, mas a bala não afetou órgãos vitais.
Dois homens numa moto vermelha chegaram à Igreja Matriz por volta das 14h35 de quarta –feira, 30. Apenas um deles se dirigiu à secretaria. Temendo uma possível reação, o assaltante atirou no padre. O assaltante foi flagrado pelas câmeras de vigilância da paróquia.
A equipe de investigações da 2ª Delegacia de Polícia já identificou o atirador. Trata-se de Silvio de Moraes Alves, o Silvio Louco, de 27 anos. Preso diversas vezes por assalto, o suspeito escapou da Penitenciária do Jacuí (Charqueadas) em 17 de janeiro deste ano. A polícia está no seu encalço, monitorando vilas da região para capturar o foragido do semiaberto.
Passeata contra a violência

Cerca de 100 pessoas participaram da passeata contra a violência realizada na manhã de sábado, 2, em Novo Hamburgo. Carregando faixas e cartazes, os moradores, ainda muito abalados com o assalto que vitimou o monsenhor Inácio José Schuster, reuniram-se em frente à igreja da Piedade por volta das  10h15, com o objetivo de pedir uma resposta imediata às autoridades para a falta de segurança pública nos bairros. “Perdemos a referência do policiamento ostensivo”, não se cansava de repetir o presidente da associação de Hamburgo Velho, o economista Carlos Anschau. O Colégio Santa Catarina e a Pastoral da Educação da diocese foram parceiros da iniciativa, que clamava por justiça. Com o slogan “Paz sim, violência não, os participantes saíram ao mesmo tempo, às 10h, do brique do bairro Mauá (feira do produtor) e Praça da Igreja Evangélica Três Reis Magos, para se encontrar em frente à paróquia.
O bispo da diocese de Novo Hamburgo, dom Zeno Hastenteufel, encerrou o ato público com oração e bênção dentro da igreja, onde junto com os fiéis rezou e agradeceu a solidariedade vinda de toda parte neste momento difícil. “O que aconteceu com padre Inácio revela a fragilidade da segurança”, comentou. “Ainda bem que o socorro foi rápido”, destacou, ressaltando que espera que o caso desperte nas autoridades ações.
Com o cartaz “Lugar de bandido é na cadeia, não no semiaberto”, o casal Inácio Otto, de 57 anos, e Roselange Wolfart, 50, manifestava seu repúdio e inconformismo com a situação. O bancário aposentado e a esposa participam do Encontro de Casais com Cristo (ECC) da paróquia.
Postar um comentário

Planeta Brasileiro