Sejam Bem-Vindos!

"É uma grandiosíssima calúnia dizer que tenho revoltas contra a Igreja. Eu nunca tive dúvidas sobre a Fé Católica, nunca disse nem escrevi, nem em cartas particulares, nem em jornais, nem em quaisquer outros escritos nenhuma proposição falsa, nem herética, nem duvidosa, nem coisa alguma contra o ensino da Igreja. Eu condeno tudo o que a Santa Igreja condena. Sigo tudo o que ela manda como Deus mesmo. Quem não ouvir e obedecer a Igreja deve ser tido como pagão e publicano. Fora da Igreja não há salvação."
Padre Cícero Romão Batista

sexta-feira, 1 de abril de 2011

CARTAS REVELAM QUE PIO XII AJUDOU JUDEUS NO HOLOCAUSTO


A revista Avvenire, do Vaticano, divulgou hoje cartas trocadas pelo papa Pio XII que constam no arquivo do bispo dom Giuseppe Maria Palatucci que revelam ações do Pontífice em prol das vítimas do Holocausto.
  
Um dos documentos revela uma ordem direta de Pio XII para dispor fundos para a assistência aos judeus que estavam escondidos na diocese de Palatucci, de Campagna, em Salernitano. O bispo da ordem franciscana requisitou a ajuda para centenas e milhares de judeus escondidos em San Bartolomeo.
  
Em uma carta de 29 de novembro de 1940 de dom Giovan Battista Montini, lê-se que "o Santo Padre benevolamente dispôs um acordo amplo de ajuda que Lhe foi demandada. Em agradecimento, portanto a tal venerada ordem, Lhe transmito assinado o cheque de 10.000 liras [moeda local da época]".
  
Em uma carta anterior, de 2 de outubro de 1940, o então secretário de Estado da Santa Sé, cardeal Luigi Maglione, escreve: "O Augusto Pontífice se dignou a aceitar a denúncia e me ordenou levar a Vossa Excelência a importância de 3.000 liras, que lhe transmito com a única assinatura do Banco de Roma. Sua Santidade, em homenagem à intenção dos proponentes, me encarregou de Lhe fazer conhecer que este dinheiro é preferivelmente destinado aos que sofrem por razões de raça".
  
A revista também revelou uma carta escrita pelo bispo Palatucci em abril de 1953, na qual ele atesta que "a certa altura, não podendo com as minhas forças ajuda-los [judeus], dando dinheiro, roupas, e também, por vezes, alimento, voltei-me ao Santo Padre gloriosamente reinante, Pio XII, para que me mandasse subsídio, sendo que naqueles anos, eu pude ajudar os judeus com uma soma de cerca de cem mil liras: soma muito respeitável naquele tempo".
  
A postura do papa Pio XII, Pontífice na época da Segunda Guerra Mundial, com relação ao Holocausto tem sido alvo de acusações por parte de setores da comunidade judaica. Em 2010 foram divulgados documentos históricos no qual ele teria se mostrado omisso com as perseguições nazistas. A abertura dos arquivos relativos ao Pontificado de Pio XII deve ocorrer em 2015. (ANSA)

Postar um comentário

Planeta Brasileiro