Sejam Bem-Vindos!

"É uma grandiosíssima calúnia dizer que tenho revoltas contra a Igreja. Eu nunca tive dúvidas sobre a Fé Católica, nunca disse nem escrevi, nem em cartas particulares, nem em jornais, nem em quaisquer outros escritos nenhuma proposição falsa, nem herética, nem duvidosa, nem coisa alguma contra o ensino da Igreja. Eu condeno tudo o que a Santa Igreja condena. Sigo tudo o que ela manda como Deus mesmo. Quem não ouvir e obedecer a Igreja deve ser tido como pagão e publicano. Fora da Igreja não há salvação."
Padre Cícero Romão Batista

domingo, 9 de dezembro de 2012

“E Deus disse: Faça-se a luz.” (Gên 1,3)


  Eis um grande mistério de fé, e somente com as óticas da fé se torna possível encarar e aceitar a legitimidade de tal mistério. Ora, se é mistério, provavelmente é também incompreensível, insondável, e, portanto, questionável.
            Tais atitudes fazem parte do interior do homem ante as situações adversas impostas pelo cotidiano. No escuro é muito difícil direcionar-se. Assim também acontece no campo espiritual. Quando imersos nas trevas dos problemas que enfrentamos diariamente, quando nos vemos sem saída, quando tudo parece tão difícil que até o nosso entendimento não consegue comportar, aí nos deparamos com nossas reais debilidades e impossibilidades, e, portanto, nossa primeira reação na maioria dos casos é justamente questionar. Questionamos porque não compreendemos, e não compreendemos porque é algo insondável, e nós tememos o que não conhecemos.
            Quando levados ao campo espiritual, questionamos primeiro a Deus. Mas o questionamos porque na realidade não nos conhecemos a nós mesmos. Quando o homem tem o conhecimento de si próprio, consegue conviver com suas debilidades e fragilidades, e chegando a esse ponto, certamente terá plena consciência de que é um ser limitado e que precisa viver o respeito à essas limitações. O problema é que isso raramente acontece, e porque não acontece, a melhor maneira de encarar a realidade é com a ótica da fé.
A fé nos permite ir além das nossas impossibilidades por que nossa esperança é colocada Naquele que é o Senhor das possibilidades. Uma palavrinha tão pequena, mas que, no entanto, traz em si um significado grandioso. À medida que encaramos tudo o que nos acontece com os olhos da fé, tudo passa por um processo de conversão. O incompreensível passa a ser compreendido, os questionamentos passam a ser certezas, as limitações deixam de ser barreiras, as fragilidades se mudam em força e as impossibilidades tornam-se possibilidades.
Nesse ponto voltamos ao início, a luz. Um dos grandes problemas da humanidade é a falta de fé. O homem é um ser desejoso e precisa em sua essência de algo em que possa crer, algo que sirva de força, sustentáculo e refúgio ante seus conflitos internos e externos. Quando não se tem o que crer, no que esperar, onde se refugiar, provavelmente o desespero fará parte das nossas noites escuras. O grande diferencial está em que, quando depositamos nossa confiança no Deus do impossível permitimos que a nossa fé converta tudo o que está a nossa volta. Aí o grande milagre acontece!
            Não há noite tão escura que não seja interrompida pela beleza e esplendor da Luz. Quando no início tudo eram trevas, Deus ordenou que se fizesse a luz e assim foi feito. Mas a criação da luz não apaga o fato de que existiam as trevas. Assim também é em nossas vidas. A luz só pode brilhar onde outrora fora treva. Por mais escuro que seja o momento que estejamos vivendo, haverá sempre uma luz pronta a irradiar. Cabe a nós acreditar que a ordem superior já foi dada e esperar confiante e pacientemente o Brilho do Alto dissipar a escuridão das nossas vidas.
Eis o grande mistério!
Postar um comentário

Planeta Brasileiro