Sejam Bem-Vindos!

"É uma grandiosíssima calúnia dizer que tenho revoltas contra a Igreja. Eu nunca tive dúvidas sobre a Fé Católica, nunca disse nem escrevi, nem em cartas particulares, nem em jornais, nem em quaisquer outros escritos nenhuma proposição falsa, nem herética, nem duvidosa, nem coisa alguma contra o ensino da Igreja. Eu condeno tudo o que a Santa Igreja condena. Sigo tudo o que ela manda como Deus mesmo. Quem não ouvir e obedecer a Igreja deve ser tido como pagão e publicano. Fora da Igreja não há salvação."
Padre Cícero Romão Batista

quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

Padres corruptos dão “alimento” envenenado ao povo, diz Papa

Da Redação, com Rádio Vaticano
Padres corruptos dão "alimento" envenenado ao povo, diz Papa
Francsico celebra na Casa Santa Marta / Foto; L’Osservatore Romano
Os escândalos na Igreja acontecem porque não há relacionamento vivo com Deus e com a sua Palavra. Assim, sacerdotes corruptos, em vez de dar o pão da vida, dão alimento envenenado ao povo santo de Deus. Essa foi a reflexão central do Papa Francisco em sua homilia nesta quinta-feira, 16, na Casa Santa Marta.
Comentando a leitura do dia e o salmo responsorial, que relatam uma dura derrota dos israelitas pelos filisteus, Francisco observou que o povo de Deus naquela época tinha abandonado o Senhor. Não houve uma verdadeira fé em Deus.
Francisco trouxe esta reflexão para os dias de hoje. Segundo ele, este trecho da Escritura faz pensar como é a relação de cada um com Deus.
“Mas o coração está fechado à Palavra! E nos leva a pensar em tantos fracassos da Igreja, em tantos insucessos do povo de Deus simplesmente porque não ouve o Senhor, não procura o Senhor, não se deixa buscar pelo Senhor!”.
O Papa refletiu, então, sobre os escândalos da Igreja, fatos que ele não quis mencionar singularmente, mas reconheceu ser do conhecimento de todos. Nestas situações, conforme ressaltou o Santo Padre, a Palavra de Deus era rara. Padres, bispos e leigos que fracassaram tinham uma posição na Igreja, uma posição de poder ou mesmo de comodidade, mas não tinham a Palavra de Deus.
“Pobre povo! Pobre povo! Não damos de comer o pão da vida; não damos de comer – naqueles casos – a verdade! E damos de comer alimento envenenado, tantas vezes! Peçamos ao Senhor para não esquecermos nunca a Palavra de Deus, que é viva, que entre no nosso coração e não esqueçamos jamais o santo povo fiel de Deus, que nos pede o alimento forte!”.
Postar um comentário

Planeta Brasileiro