Sejam Bem-Vindos!

"É uma grandiosíssima calúnia dizer que tenho revoltas contra a Igreja. Eu nunca tive dúvidas sobre a Fé Católica, nunca disse nem escrevi, nem em cartas particulares, nem em jornais, nem em quaisquer outros escritos nenhuma proposição falsa, nem herética, nem duvidosa, nem coisa alguma contra o ensino da Igreja. Eu condeno tudo o que a Santa Igreja condena. Sigo tudo o que ela manda como Deus mesmo. Quem não ouvir e obedecer a Igreja deve ser tido como pagão e publicano. Fora da Igreja não há salvação."
Padre Cícero Romão Batista

quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

"João Paulo II poderá ser canonizado em breve", diz Cardeal


Da Redação, com Rádio Vaticano


Por ocasião da apresentação do espetáculo “O Papa e o Poeta” - que será apresentado nesta quinta-feira, 13, noAuditorium da Via da Conciliação em Roma -, jornalistas pediram ao Prefeito Emérito da Congregação dos Bispos, Cardeal Giovanni Battista Re, para comentar o caso Vatileaks.

O Cardeal aproveitou a ocasião para traçar um paralelo entre o perdão concedido pelo Papa Bento XVI ao seu ex-mordomo Paolo Gabriele, antes do Natal, e aquele dado por João Paulo II a Ali Agca, o autor do atentado contra sua vida cometido na Praça São Pedro.

O cardeal afirmou que “é difícil dizer como teria se comportado João Paulo II diante da traição de um colaborador tão próximo. Mas como ele tinha um grande senso de perdão e misericórdia, certamente também o teria perdoado”. E recordou que “apenas 4 dias após o atentado, no seu primeiro Angelus, proferido do Policlinico Gemelli, o Papa Wojtyla afirmou: 'perdôo aquele que atirou em mim' “.

Ele admitiu que João Paulo II poderá ser canonizado muito em breve, "se não neste ano, no ano próximo". “A ele foram atribuídos diversos milagres - salienta -, porém, não me parece que tenha sido escolhido aquele que será submetido à comissão médica”.

“Até poucos meses - explicou -, ainda estavam sendo estudados três ou quatro casos, para se avaliar qual deles poderia se inserir melhor nos rígidos critérios usados pelo organismo científico responsável pela avaliação dos casos”.

"Após esta etapa - concluiu -, o caso será examinado por bispos e cardeais e finalmente, poderá ter a aprovação definitiva do Papa". 
Postar um comentário

Planeta Brasileiro