Sejam Bem-Vindos!

"É uma grandiosíssima calúnia dizer que tenho revoltas contra a Igreja. Eu nunca tive dúvidas sobre a Fé Católica, nunca disse nem escrevi, nem em cartas particulares, nem em jornais, nem em quaisquer outros escritos nenhuma proposição falsa, nem herética, nem duvidosa, nem coisa alguma contra o ensino da Igreja. Eu condeno tudo o que a Santa Igreja condena. Sigo tudo o que ela manda como Deus mesmo. Quem não ouvir e obedecer a Igreja deve ser tido como pagão e publicano. Fora da Igreja não há salvação."
Padre Cícero Romão Batista

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Presidente da Conferência Episcopal da Venezuela diz que Igreja tem o direito de se pronunciar sobre questões morais


Durante a 95ª Assembleia Ordinária dos Bispos do Venezuela, o presidente da Conferência Episcopal daquele país e arcebispo de Maracaibo, dom Ubaldo Santana Sequera, defendeu o direito dos bispos a pronunciarem juízos morais sobre questões relativas à ordem política.
A comunidade política e a Igreja, embora com funções diferentes e justamente separadas, estão ambas, “ao serviço do desenvolvimento integral de cada ser humano e da sociedade no seu conjunto”, disse o arcebispo.
De acordo com a Agência Fides, dom Ubaldo irá continuar a expressar a sua opinião, “quando for solicitado, sobre os direitos fundamentais do homem”. Ele lembrou ainda a tensão que se verificou no ano passado entre o Governo e o Cardeal Jorge Urosa, que acusara o executivo de conduzir o país rumo a uma ditadura marxista.
“Os bispos têm consciência de que o trabalho em prol de uma ordem justa na sociedade cabe aos leigos, como cidadãos livres e responsáveis, esforçando-se para contribuir para uma configuração adequada da vida social”, disse o bispo, “e a nós e ao clero cabe contribuir para a purificação da razão e para o despertar moral das forças necessárias para construir uma sociedade justa e fraterna”, completou.
Postar um comentário

Planeta Brasileiro