Sejam Bem-Vindos!

"É uma grandiosíssima calúnia dizer que tenho revoltas contra a Igreja. Eu nunca tive dúvidas sobre a Fé Católica, nunca disse nem escrevi, nem em cartas particulares, nem em jornais, nem em quaisquer outros escritos nenhuma proposição falsa, nem herética, nem duvidosa, nem coisa alguma contra o ensino da Igreja. Eu condeno tudo o que a Santa Igreja condena. Sigo tudo o que ela manda como Deus mesmo. Quem não ouvir e obedecer a Igreja deve ser tido como pagão e publicano. Fora da Igreja não há salvação."
Padre Cícero Romão Batista

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Como rezar - esquema de meditação

Além do santo rosário, oração fundamental de todos os católicos, recomendada por números Papas e cuja recitação foi solicitada por Nossa Senhora em Fátima, é fundamental também, para o aprofundamento da vida espiritual, achamada oração mental, ou meditação.

Abaixo, indicamos de forma esquemática, o modo de realizar aoração mental segundo o método de Santo Inácio de Loyola. Recomendamos também anossos leitores, com o mesmo objetivo, os capítulos referentes à oração do excelente Introdução à Vida Devota de São Francisco de Sales e oTratadoda Oração e Meditação de São Pedro de Alcântara. 



MEDITAÇÃO


PREPARAÇÃO REMOTA1. PREPARAÇÃO PRÓXIMACorpo da meditação: exercitar em cada ponto
MEMÓRIA – INTELIGÊNCIA - VONTADE
5. COLÓQUIOS
Para concluir, faço os colóquios, como um Ageu fala a outro amigo, ou um servo a seu senhor: às vezes, pedindo uma graça, outras culpando-se por algo que se fez mal, pedindo conselho, etc. Devemos falar e pedir segundo a matéria da meditação e a disposição da alma.


2. Memória3. Inteligência4. Vontade
A. Mortificação dos sentidos
B. Recolhimento habitual (união de coração a Jesus).
C. Humildade profunda e esquecimento de si mesmo.
D. Recordar os pontos da meditação.
A. De pé, faço o sinal da cruz, com água benta e ponho-me na pre sença de Deus.
B. Em seguida, faço a oração preparatória: pedir o que for para maior glória de Deus.
C. De joelhos, faço o primeiro preâmbulo: composição de lugar;
D. E o segundo preâmbulo: a graça a pedir.
Recordar o tema com as circunstâncias.
Razões que me iluminem e me persuadam:
 - que devo considerar sobre este tema?
 - que conclusão prática devo tirar?
 - como segui esta doutrina até hoje?
 - que obstáculos devo evitar para segui-la?
 - que meios devo empregar?
Vem agora o que deve ocupar a maior parte da meditação: excitar atos da vontade que inflamem o coração e animem a generosidade (vergonha, dor, desejos, adoração, louvor, ação de graças, amor, súplica, etc.), insistindo sobre a graça pedida; resoluções propósitos práticos, particulares, pessoais e apropriados, rezando à Santíssima Virgem, aos Anjos e aos Santos. Em caso de distração, regressar ao ponto 1.C
EXAME
Por fim, pensarei como foi a meditação: como a fiz? Em que ou por que a fiz mal? Quais foram as conclusões práticas e os seus motivos? Quais foram os afetos produzidos, os pedidos formulados, as resoluções tomadas? Que luzes recebi? Recolher tudo isso por meio de um pensamento, frase ou oração que possa servir-me de lema espiritual durante o dia.



CONTEMPLAÇÃO

PREPARAÇÃO REMOTA1. PREPARAÇÃO PRÓXIMACorpo da contemplação: em cada ponto, PESSOAS,PALAVRAS, AÇÕES
(participando em mesmo do mistério e buscando a graça pedida)
5. COLÓQUIOS
Para concluir, faço os colóquios, como um amigo fala a outro amigo, ou um servo a seu senhor: às vezes, pedindo uma graça, outras culpando-se por algo que se fez mal, pedindo conselho, etc. Devemos falar e pedir segundo a matéria da meditação e a disposição da alma.

2. Pessoas3. Palavras4. Ações
A. Mortificação dos sentidos.
B. Recolhimento habitual (união de coração a Jesus).
C. Humildade profunda e esquecimento de si mesmo.
D. Recordar os pontos da meditação
A. De pé, faço o sinal da cruz, com água benta e ponho-me na pre sença de Deus.
B. Em seguida, faço a oração preparatória: pedir o que for para maior glória de Deus.
C. De joelhos, faço o primeiro preâmbulo: composição de lugar;
D. E o segundo preâmbulo: a graça a pedir.
Deus, Nosso Senhor Jesus Cristo, os Anjos, os Santos, os homens. Seu exterior (rosto, idade, roupa, modos, movimentos). Seu interior: perfeições, sentimentos, virtudes, vícios, disposições, etc.

- Quem as diz?
- O que expressam? (louvor, repreensão, misericórdia, amor, ódio?)
- Sua natureza (de misericórdia, de justiça, de bondade, maldade, etc.);
- Suas circunstâncias (modo, tempo, lugar, causa, finalidade, conseqüências, etc.)
- Em caso de distração, regressar ao ponto c).

EXAME
Por fim, pensarei como foi a contemplação: como a fiz? Em que ou por que a fiz mal? Quais foram as conclusões práticas e os seus motivos? Quais foram os afetos produzidos, os pedidos formulados, as resoluções tomadas? Que luzes recebi? Recolher tudo isso por meio de um pensamento, frase ou oração que possa servir-me de lema espiritual durante o dia.
Postar um comentário

Planeta Brasileiro