Sejam Bem-Vindos!

"É uma grandiosíssima calúnia dizer que tenho revoltas contra a Igreja. Eu nunca tive dúvidas sobre a Fé Católica, nunca disse nem escrevi, nem em cartas particulares, nem em jornais, nem em quaisquer outros escritos nenhuma proposição falsa, nem herética, nem duvidosa, nem coisa alguma contra o ensino da Igreja. Eu condeno tudo o que a Santa Igreja condena. Sigo tudo o que ela manda como Deus mesmo. Quem não ouvir e obedecer a Igreja deve ser tido como pagão e publicano. Fora da Igreja não há salvação."
Padre Cícero Romão Batista

domingo, 19 de fevereiro de 2012

Pedofilia


“E qualquer que escandalizar um destes pequeninos que crêem em mim, melhor lhe fora que lhe pusessem ao pescoço uma pedra, e que fosse lançado no mar”. (Marcos 9.42)

Antes de mais nada quero deixar claro que a Igreja é Santa, mas é composta por pessoas pecadoras.

É Santa: Porque Jesus disse a Pedro (o primeiro Papa da Igreja) “Tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a MINHA Igreja.” (Mt 16,18) e também: “Apascenta minhas ovelhas” (Jo 21,17). A Igreja recebeu directamente das mãos de Jesus Cristo, Seu fundador, a sua missão. É, também, assistida pelo Espírito Santo e, portanto, digna de crédito.

É Composta por pessoas pecadoras: Porque fazem parte da Igreja pessoas normais, fracas e de facto propensas ao erro e, portanto, ao pecado.
Muito se tem discutido sobre o assunto, sempre com argumentos contra a Igreja. Por isso para tratar de um tema tão profundamente polémico pretendo passar a palavra para a Igreja se defender:
"1- A Igreja pede perdão e faz reparação pelos graves delitos de pedofilia de alguns de seus filhos. Digo alguns, porque a maioria dos sacerdotes são homens de Deus, missionários, lutadores, ministro de Cristo. (Atenção aos números...) Entre 46 mil sacerdotes nos Estados Unidos, 218 casos de pedofilia foram comprovados, desde 1950, até hoje. Dentre 210 mil casos de pedofilia na Alemanha 209 foram praticados por pessoas consagradas.

No Brasil temos 16 mil padres, 99% são fiéis. No mundo existem 407 mil padres e 96% deles não estão envolvidos nos escândalos de pedofilia. Porque só a Igreja Católica é visada? Sem dúvida existe orquestração organizada em tudo isso, com a histeria anti-católica da mídia que em nome da modernidade fomenta a erotização da sociedade.

2- A Igreja, além de fazer reparação pelos erros e delitos de seus filhos, deve aprender com seus erros e corrigir rotas para o futuro. Nossos candidatos ao sacerdócio já trazem estes problemas de sua família, escondem esta anomalia e carregam consigo este espinho na carne. Precisam de médicos, de cirineus, de orientadores. É claro que nada disso justifica seus erros, porém, são elementos para a nossa reflexão.

3- Nesta hora, não esqueçamos o imenso bem que a Igreja realiza em favor das crianças nas creches, escolas, orfanatos, hospitais infantis, pastoral do menor e da criança, adoção, infância missionária, coroinhas, Apae etc. O calvário, a dor, a vergonha que a Igreja passa nestes dias, reverterá em conversão, purificação, santificação. As portas do mal não prevalecerão e a Igreja não deixa de ser santa enquanto Corpo de Cristo. A santidade é invencível por ação da graça. Creio na Igreja santa.

4- Como fazer justiça com pessoas erradas e ao mesmo tempo ter misericórdia, perdão e amor com elas? Por acaso basta a vingança e a condenação? Haja, sim, a punição justa, mas sem esquecermos o amor incondicional e do perdão aos inimigos. Não podemos nos embrutecer. Ninguém é totalmente mau. Muitos casos de pedofilia não atingem crianças, mas adolescentes e jovens que são vítimas do erotismo e da permissividade. Eles são garotos e garotas de programa? Neste caso se trata de efebofilia? e rigorosamente falando é outra coisa que pedofilia. Em muitos casos punidos como pedofilia a pessoa praticou um toque, uma carícia, isso é tido como abuso sexual, melhor seria chamar de assédio? É claro que nem isso é justificável, mas, nem tudo é ato de agressão a crianças inocentes.

5- Não há relação entre celibato e pedofilia. Todos sabemos que a ocorrência da pedofilia acontece mais nas famílias, portanto ente casados, que entre os celibatários. Trata-se de uma anomalia que atinge todos os setores da sociedade e situações da vida.

6- Geralmente as pessoas com problema de pedofilia foram vítimas de pedófilos quando eram crianças ou adolescentes. Certamente a erotização da sociedade, o turismo sexual, a internet muito contribuem para que o liberalismo e permissivismo ético, fato este, que facilita todo tipo de relacionamento sexual sob a capa de modernidade. É comum hoje a gente ouvir: nada é pecado, todo mundo faz, é normal, etc. Não esqueçamos que um dos elementos da decadência das civilizações é o erotismo, ou seja, o abuso da sexualidade. Ser livre e ser libertino são coisas bem distintas.

7- A Igreja reconhece, repara e paga pelos erros de seus filhos. Grupos e pessoas mal intencionados aproveitam desta situação para desmoralizar, desmobilizar, desestruturar a Igreja de Cristo. Jesus alertou que seríamos odiados, perseguidos e mortos. Nossos algozes acabam sendo nossos artistas. Por outro lado, a Igreja cresce e se fortalece com o sangue dos mártires, as perseguições e humilhações. As portas do mal não prevaleceram. A primazia é da graça. Coragem, eu venci o mundo? (Jo 16,32).

Dom Orlando Brandes
Arcebispo de Londrina
Publicado na Folha de Londrina, 17 de abril de 2010. Retirado do site do professor Felipe Aquino.
 http://blog.cancaonova.com/felipeaquino/?s=Pedofilia

D. José Policarpo (Cardeal patriarca de Lisboa) afirmou na Sexta-Feira Santa, dia 02/04/2010 o seguinte:
Texto retirado da notícia publicada no site da TVI
http://www.tvi24.iol.pt/sociedade/d-jose-policarpo-pedofilia-igreja-tvi24/1152045-4071.html)

"Estamos aos pés da Cruz num momento em que os pecados da Igreja, mesmo os pecados dos sacerdotes, indignam o mundo e ofuscam a imagem do Reino de Deus», declarou na homilia da Paixão do Senhor na Sé Patriarcal, em Lisboa."Continuamos a precisar do Vosso amor redentor, por causa dos nossos pecados...

Uma das características preocupantes do nosso tempo é o facto de se perder a consciência do pecado. Os pecados da Igreja ferem, de modo particular, o coração inocente de Cristo e de sua Mãe. Com amor e humildade peçamos, por intercessão de Maria: Senhor, perdoai os pecados da vossa Igreja."


O Papa

A caminho de Portugal o Papa disse o seguinte:
“Hoje nós vemos de uma forma verdadeiramente terrível que a grande opressão da Igreja não vem de inimigos externos, mas nasce do pecado dentro da Igreja”, disse ele a jornalistas no avião que o leva para Portugal ao responder uma pergunta sobre os escândalos de abusos sexuais cometidos por padres.

“O perdão não substitui a justiça”, disse o papa."
http://g1.globo.com/mundo/noticia/2010/05/perdao-nao-substitui-justica-diz-papa-sobre-o-escandalo-de-abusos-no-clero.html

O Papa não está indiferente aos acontecimentos:
"O papa “chorou conosco”, declarou à AFP uma das vítimas dos abusos sexuais cometidos por religiosos em Malta, durante o encontro deste domingo com Bento 16 na nunciatura apostólica da capital Valletta.
“Fiquei impressionado com a humildade do papa. Ele tomou para si o constrangimento causado pelos outros. Ele foi muito corajoso. Nos escutou individualmente, rezou e chorou conosco”, declarou Lawrence Grech. “Ele até benzeu uma cruz que eu carregava”, acrescentou.
O Papa Bento 16 se reuniu em Malta com “um pequeno grupo de pessoas que sofreram abusos sexuais cometidos por religiosos”, anunciou o Vaticano mais cedo em um comunicado. O papa mencionou a “profunda comoção provocada pelas histórias e expressou sua vergonha e lamentação pelas vítimas e pelo sofrimento de suas famílias”.

Anti-catolicismo
O ex-prefeito judeu de Nova York, Edward “Ed” Koch, afirmou em blog do jornal The Jerusalem Post: “Eu acredito que os constantes ataques da mídia à Igreja Católica e ao Papa Bento XVI se tornaram uma manifestação do anti-catolicismo. A sucessão de artigos sobre os mesmos eventos, em minha opinião, não tem já a intenção de informar, mas simplesmente de castigar”, afirma Koch. Ele reconhece que o abuso sexual a crianças é “horrendo”, assinalando que este é um ponto de acordo entre os católicos, a própria Igreja, assim como os não católicos e os meios de comunicação”.
"Sobre este ponto, o político e comentarista político afirma que o Papa proclamou abertamente sua execração do delito e compaixão pelas vítimas."
http://cgis.jpost.com/Blogs/koch/entry/he_that_is_without_sin
O Papa é acusado pela imprensa anticatólica de ter “encoberto” escândalos de sacerdotes que abusaram sexualmente de menores, porém ele muito tem feito contra esses crimes:

"Aqui, da mesma forma, a acusação é contra o mesmo homem que fez mais que qualquer outro na hierarquia eclesiástica para sanar este escândalo, com efeitos positivos que já podem ser vistos aqui e acolá, em especial nos Estados Unidos, onde a incidência do fenômeno em meio ao clero católico tem diminuído de forma significante nos últimos anos.

Mas onde a ferida ainda está aberta, como na Irlanda, foi novamente Bento XVI que pediu que a Igreja daquele país se pusesse em um estado de penitência, uma exigência que ele formulou em uma carta pastoral sem precedentes em 19 de março último.

O fato é que a campanha internacional contra a pedofilia tem somente um alvo hoje, o Papa. Os casos desenterrados do passado o são sempre com a intenção de ligá-los a ele, tanto quando era Arcebispo de Munique quanto quando era Prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé, além do tempo em Ratisbona pelos anos em que o irmão do Papa, Georg, dirigiu o coral infantil da catedral."
Extraído de: Blog Veritatis
Publicação: Abril de 2010
Traduzido a partir do Inglês (versão de Matthew Sherry, Ballwin, Missouri, EUA. Original em italiano).
http://chiesa.espresso.repubblica.it/articolo/1342796?eng=y
Perguntas aos que acusam o Papa de ter acobertado padres pedófilos:
"1. Por que será que tantos ficam incomodados com os recados do Papa?
2. Por que fazem tanta propagando de coisas erradas na Igreja?
3. Por que aproveitam os casos de pedofilia de padres para acusar o Papa de falta de firmeza no trato do problema?
4. Se os juízes brasileiros têm tanta dificuldade em julgar casos atuais de corrupção que acontecem debaixo do seu nariz, como querem os julgadores do Papa que seja fácil para o Vaticano julgar casos antigos e distantes denunciados décadas depois?
5. Por que será que as denúncias sobre casos antigos de difícil verificação aumentaram tanto, quando denunciantes e seus advogados passaram a ganhar indenizações da Igreja?
6. Quantos são os incomodados com as exigências de um Papa intransigente na doutrina e na moral?
7. Querem atingir o mensageiro para enfraquecer a mensagem?"
(D. Cristiano Krapf, bispo de Jequié) Texto do site:
Conclusão:
1) Não se pode dizer, como muito se diz na actualidade que todos os padres são pedófilos. Toda a instituição da Igreja não pode ser desacreditada por causa do erro de alguns, de uma minoria que não sabe viver de acordo com os preceitos do Evangelho. É o mesmo que dizer que todos os maridos traem suas mulheres, ou que todos os homens casados são pedófilos, essas afirmações não abalariam a santidade do matrimónio.
2)A Igreja reconhece-se pecadora, lamenta profundamente os crimes cometidos e de maneira alguma é conivente com tais actos.
3) Abolir o Celibato não resolveria o problema da pedofilia, a prova disso é que também há inúmeros casos de pedofilia envolvendo homens casados e pastores casados de outras denominações cristãs.
4) As constantes notícias na imprensa internacional sobre a Pedofilia na Igreja são pura e simplesmente um movimento para a atacar e tentar acabar com a Igreja Católica!

Postar um comentário

Planeta Brasileiro