Sejam Bem-Vindos!

"É uma grandiosíssima calúnia dizer que tenho revoltas contra a Igreja. Eu nunca tive dúvidas sobre a Fé Católica, nunca disse nem escrevi, nem em cartas particulares, nem em jornais, nem em quaisquer outros escritos nenhuma proposição falsa, nem herética, nem duvidosa, nem coisa alguma contra o ensino da Igreja. Eu condeno tudo o que a Santa Igreja condena. Sigo tudo o que ela manda como Deus mesmo. Quem não ouvir e obedecer a Igreja deve ser tido como pagão e publicano. Fora da Igreja não há salvação."
Padre Cícero Romão Batista

segunda-feira, 26 de março de 2012

Bento XVI chega a Cuba

Em sua chegada a Cuba, o Papa Bento XVI foi recebido pelo presidente do país, Raul Castro
O Papa Bento XVI desembarcou no Aeroporto Internacional Antonio Maceo de Santiago de Cuba, em Cuba, nesta segunda-feira, 26, por volta de 16h30 (horário de Brasília, 14h30 no horário local). Ele foi recebido pelo presidente de Cuba, Raul Castro, e autoridades religiosas locais. Em seguida, quatro crianças entregaram a Bento XVI um ramo de flores como sinal de boas vindas.
Em seu discurso, Raul Castro disse a Bento XVI que o país se sente honrado com sua presença e enfatizou o bom relacionamento que o governo mantém com as diversas religiões. “Nosso Governo e a Igreja Católica mantêm boa relação. O governo tem bom relacionamento com todas as religiões e entidades religiosas no país”, disse.
.: NA ÍNTEGRA: Discurso de Bento XVI - Cerimônia de boas vindas no Aeroporto Maceo de Santiago de Cuba, Cuba - 26/03/2012.: Confira programação da viagem do Papa a Cuba e ao México.: Todas as matérias sobre a visita do Papa ao México e à Cuba
O presidente também lembrou as dificuldades econômicas existentes no país, mas ressaltou que a nação segue mudando tudo que precisa ser mudado. 
Ao tomar a palavra, Bento XVI agradeceu o acolhimento e as palavras de Raul Castro e demais autoridades. Ele também saudou as autoridades religiosas, os fiéis da Igreja Católica em Cuba e todos os cubanos. 
“Tenho-vos sempre muito presente no coração e na minha oração, e ainda mais nos últimos dias quando o momento tão desejado de vos visitar se ia aproximando e que, graças à bondade divina, chegou”, disse. 
O Pontífice lembrou a histórica visita que seu antecessor, Beato João Paulo II, fez ao país. De acordo com ele, o beato deixou “uma marca indelével na alma dos cubanos. O seu exemplo e os seus ensinamentos constituem uma guia luminosa para muitos, crentes ou não, que os orienta tanto na vida pessoal como na atuação pública ao serviço do bem comum da Nação”. 
Ele destacou que um dos frutos da visita do Beato foi a abertura de uma nova etapa nas relações entre a Igreja e o Estado cubano. O Papa disse que, embora ainda haja muito em que se avançar, essa nova etapa caracteriza-se por um “espírito de maior colaboração e confiança”. 
O Santo Padre também lembrou a situação de dificuldade econômica que muitas partes do mundo atravessam e que muitos concordam em situar sua origem numa crise espiritual e moral. Ele acredita que esta situação não pode continuar. 
“O verdadeiro progresso necessita duma ética que coloque no centro a pessoa humana e tenha em conta as suas exigências mais autênticas, de modo especial a sua dimensão espiritual e religiosa”, destacou o Pontífice. 
Sobre sua estadia em Cuba, Bento XVI revelou ser verdadeiro propósito: ajudar o povo cubano a fortalecer sua fé. “Venho a Cuba como peregrino da caridade, para confirmar os meus irmãos na fé e encorajá-los na esperança, que nasce da presença do amor de Deus nas nossas vidas”, disse o Papa. 


Fonte: CN
Postar um comentário

Planeta Brasileiro