Sejam Bem-Vindos!

"É uma grandiosíssima calúnia dizer que tenho revoltas contra a Igreja. Eu nunca tive dúvidas sobre a Fé Católica, nunca disse nem escrevi, nem em cartas particulares, nem em jornais, nem em quaisquer outros escritos nenhuma proposição falsa, nem herética, nem duvidosa, nem coisa alguma contra o ensino da Igreja. Eu condeno tudo o que a Santa Igreja condena. Sigo tudo o que ela manda como Deus mesmo. Quem não ouvir e obedecer a Igreja deve ser tido como pagão e publicano. Fora da Igreja não há salvação."
Padre Cícero Romão Batista

sexta-feira, 11 de maio de 2012

Só com Cristo a humanidade descobre sentido da existência, diz Papa


O Papa recebeu em audiência os diretores nacionais das Pontifícias Obras Missionárias
Para o Papa Bento XVI a evangelização é sempre uma questão urgente e nestes tempos impulsiona a Igreja a operar com passos ainda mais largos pelos caminhos do mundo, para levar cada homem ao conhecimento de Cristo.

“Somente na Verdade, de fato, que é o próprio Cristo, a humanidade poderá descobrir o sentido da existência, encontrar a salvação e crescer na justiça e na paz. Cada homem e cada povo têm o direito de receber o Evangelho da verdade”, salientou o Papa ao encontra-se com os diretores nacionais das Pontifícias Obras Missionárias (POM), na manhã desta sexta-feira, 11, no Vaticano.

Acesse
.: NA ÍNTEGRA: Discurso do Papa às Pontifícias Obras Missionárias 

O Pontífice destacou que percorrer as estradas do mundo para proclamar o Evangelho a todos os povos da terra e guiá-los ao encontro com o Senhor exige que o anunciador tenha um relacionamento pessoal e cotidiano com Cristo, o conheça e o ame profundamente.

“É necessário invocar a luz e a força do Espírito Santo, e empenhar-se com decisão e generosidade para inaugurar, neste sentido, ‘uma nova época de anúncio do Evangelho, porque, depois de 2000 anos, uma grande parte da família humana ainda não reconhece Cristo, mas também porque a situação na qual a Igreja e o mundo se encontram apresenta particulares desafios à fé religiosa’, disse Bento XVI lembrando as palavras de João Paulo II.

O Santo Padre recordou ainda que nesta fase de mudanças econômicas, culturais e políticas, o ser humano deve se sentir muitas vezes sozinho, em meio à angústia e ao desespero, e mesmo assim, os mensageiros do Evangelho, apesar de anunciadores de esperança e paz, continuam a serem perseguidos como Jesus Cristo.

“Mas, mesmo com os problemas e a trágica realidade da perseguição, a Igreja não se desencoraja, permanece fiel ao mandamento de seu Senhor. A mensagem de Cristo, hoje como ontem, não pode adequar-se à lógica deste mundo, porque é a profecia e a libertação, é semente de uma humanidade nova que cresce e só no fim dos tempos haverá sua plena realização”, enfatizou o Papa.

Fonte: CN
Postar um comentário

Planeta Brasileiro