Sejam Bem-Vindos!

"É uma grandiosíssima calúnia dizer que tenho revoltas contra a Igreja. Eu nunca tive dúvidas sobre a Fé Católica, nunca disse nem escrevi, nem em cartas particulares, nem em jornais, nem em quaisquer outros escritos nenhuma proposição falsa, nem herética, nem duvidosa, nem coisa alguma contra o ensino da Igreja. Eu condeno tudo o que a Santa Igreja condena. Sigo tudo o que ela manda como Deus mesmo. Quem não ouvir e obedecer a Igreja deve ser tido como pagão e publicano. Fora da Igreja não há salvação."
Padre Cícero Romão Batista

sexta-feira, 4 de maio de 2012

Guarda Suíça é homenageada com juramento de novos recrutas



Arquivo AP
Novos recrutas da Guarda Suiça farão seu juramento neste domingo, 6 de maio
Neste domingo, 6, será realizada, no Vaticano, a cerimônia de juramento de novos recrutas para a Guarda Suíça. A data escolhida homenageia a heróica morte de 147 soldados suíços em defesa do Papa Clemente VII durante o saque de Roma de 6 de maio 1527.

As celebrações iniciam no sábado com a Missa das Vésperas e as cerimônias de homenagem aos mortos em batalha. Na manhã do domingo, o Secretário de Estado do Vaticano, Cardeal Tarcísio Bertone, irá celebrar uma Missa na Basílica de São Pedro. O juramento dos novos integrantes da Guarda Suíça será logo após a Missa, no Palácio Apostólico.

O Saque de Roma foi uma passagem da história que marcou por suas implicações políticas e pela violência. Tratou-se de uma invasão militar comandada pelas tropas amotinadas de Carlos de Habsburgo, Rei de Espanha e Imperador do Sacro Império Romano-Germânico.

A cidade eterna foi invadida por cerca de 40 mil homens, entre os quais seis mil espanhóis, 14 mil italianos e 20 mil alemães, em sua maioria extremistas luteranos. Com uma violência cruel e sangrenta, grande parte da população foi dizimada.

Todos os anos, no dia 6 de maio, acontece o juramento de novos recrutas. Uma forma de lembrar da bravura que os cinco mil milicianos e 500 membros da Guarda Suíça demonstraram na luta contra os invasores para salvaguardar o Papa, que fugiu para o Castelo Santo Ângelo. Dos 189 guardas que estavam de plantão naquele dia, 42 sobreviveram.

Fonte: CN
Postar um comentário

Planeta Brasileiro