Sejam Bem-Vindos!

"É uma grandiosíssima calúnia dizer que tenho revoltas contra a Igreja. Eu nunca tive dúvidas sobre a Fé Católica, nunca disse nem escrevi, nem em cartas particulares, nem em jornais, nem em quaisquer outros escritos nenhuma proposição falsa, nem herética, nem duvidosa, nem coisa alguma contra o ensino da Igreja. Eu condeno tudo o que a Santa Igreja condena. Sigo tudo o que ela manda como Deus mesmo. Quem não ouvir e obedecer a Igreja deve ser tido como pagão e publicano. Fora da Igreja não há salvação."
Padre Cícero Romão Batista

quinta-feira, 3 de maio de 2012

A Fé autêntica nos leva a conversão!


Caros amigos internautas, dando mais um passo em direção a vida no Espírito Santo em nosso seminário de Vida On-line, hoje iremos refletir e aprofundar sobre: A Fé que nos leva a Conversão! A Sagrada Escritura usa o termo Fé mais de 327 vezes na versão Ave Maria, para nos dizer que a fé é antes de tudo um Dom de Deus. Jesus veio para a Galiléia, proclamando a Boa Nova de Deus: Completou-se o tempo, e o Reino de Deus está próximo. Convertei-vos e crede na Boa Nova” (Mc 1,14-15). Tomando consciência do Amor de Deus e de nossa recusa através do pecado, agora é preciso tomar uma decisão crer e mudar de vida.
A Igreja do Brasil, em seu projeto nacional de evangelização, convida-nos ao acolhimento de um clamor que brota de cada coração humano: “Queremos ver Jesus, caminho, verdade e vida” (cf.Jo 12,21). O verbo ver traz consigo, principalmente nos escritos do evangelista João, uma maravilhosa força dinâmica, pois aquele que vê o Senhor não consegue não se apaixonar por Ele, envolvendo-se assim em seu mistério de amor. Ver é um olhar penetrante, é a contemplação da verdade de Deus, como Criador, Redentor e Santificador.
Por este VER, experimenta-se a graça do encontro pessoal com Jesus que é a única resposta ao desejo de plenitude e felicidade presente no coração de cada pessoa humana. Transformando assim o sentido do viver, os valores éticos, os compromissos morais, sociais, políticos e culturais, o modo de julgar os acontecimentos da história, inspirando iniciativas concretas para construir um mundo novo. Este “ver” só é possível por meio de um dom especial que Deus Pai concede a seus filhos e filhas por meio do Espírito Santo: a Fé.
Às vezes, encontramos pessoas que expressam o desejo de que alguma coisa dê certo em sua vida, dizendo: “Tenho tanta fé que isso vai dar certo”. Apesar de reconhecer sua importância perguntamos: Será que é este o tipo de fé que citamos acima? Não! A fé autêntica não é um simples sentimento positivo ou um desejo de sorte. Fé é um dom, um presente do amor de Deus que, em sua infinita bondade, não abandona o coração humano em sua incessante busca de sentido, de felicidade. Por meio da fé, Deus desperta a consciência da pessoa para o conhecimento e experiência do seu mistério de amor.
Deus, que se revelou a nós por meio de seu Filho Jesus, possibilitou-nos conhecê-lo, apesar de nossas limitações, através do dom da Fé. Como vimos o dom da fé está ligado ao conhecimento da Verdade de Deus, mas tal conhecimento não exige necessariamente estudos universitários, pois a experiência do conhecimento de Deus só faz quem cultiva a humildade de coração, no sentido de depositar em Deus, e não em si mesmo, a esperança da própria salvação. Sendo assim, percebemos que o dom da Fé é imprescindível à salvação, à realização plena de toda e cada pessoa humana. Quantos são os exemplos salientados nos textos bíblicos de pessoas expressando, pelo dom de Deus, a fé como convicção que não há outra possibilidade de se viver uma vida plenamente humana fora da comunhão com Deus por meio de seu Filho Jesus. Eis a verdade autenticamente libertadora!
A Conversão é conseqüência de uma autêntica profissão de fé. Uma sutil tentação pode desviar a caminhada de salvação de muitas pessoas. Esta tentação é a separação entre fé e comportamento moral. Crer em Cristo é converter-se ao seu Reino, empenhar-se em seu projeto de salvação, de modo que todos se amem mutuamente como Ele nos amou.
“Deste modo, o quilate de vossa , que tem mais valor que o ouro testado no fogo, alcançará louvor, honra e glória, no dia da revelação de Jesus Cristo”. “Por ele, tendes  no Deus que o ressuscitou dos mortos e lhe deu a glória, e assim, vossa  e vossas esperanças estão em Deus” (I São Pedro 1,7 e 21).
A fé não é um desejo de sorte, é conversão! Porque ela exige uma mudança de vida, ela implica nos nossos comportamentos e escolhas, ela pede uma coerência entre aquilo que eu creio e professo com aquilo que eu faço e vivo. A raiz da fé não está firmada nos sentimentos. Nenhuma situação ou acontecimento pode alterar o verdadeiro sentido desta certeza manifestada pela glória de Deus (Cf. Jo 11,40).
‘Fé é o fundamento da esperança, é uma certeza a respeito do que não se vê’ (Hb 11,1). É a posse antecipada do que se espera, é uma demonstração da realidade ainda não acontecida.  Fé é o caminho da entrega e do abandono. É como atravessar um túnel, embora tudo pareça escuro, temos a certeza de encontrar a luz no final.
Como opção definitiva, a fé exige perseverança e fidelidade: ‘Combate o bom combate, com fé e boa consciência; pois alguns, rejeitando a boa consciência, vieram naufragar na fé’ (I Tim 1,18-19).

Fonte: CN
Postar um comentário

Planeta Brasileiro