Sejam Bem-Vindos!

"É uma grandiosíssima calúnia dizer que tenho revoltas contra a Igreja. Eu nunca tive dúvidas sobre a Fé Católica, nunca disse nem escrevi, nem em cartas particulares, nem em jornais, nem em quaisquer outros escritos nenhuma proposição falsa, nem herética, nem duvidosa, nem coisa alguma contra o ensino da Igreja. Eu condeno tudo o que a Santa Igreja condena. Sigo tudo o que ela manda como Deus mesmo. Quem não ouvir e obedecer a Igreja deve ser tido como pagão e publicano. Fora da Igreja não há salvação."
Padre Cícero Romão Batista

sexta-feira, 25 de maio de 2012

Bento XVI almoça com membros do Colégio Cardinalício


O almoço do Papa com os cardeais aconteceu na Sala Ducale do Palácio Apostólico
Na segunda-feira passada, 21, o Papa Bento XVI almoçou com os membros do Colégio Cardinalício na Sala Ducale do Palácio Apostólico.

O gesto foi uma forma de agradecimento por parte do Santo Padre pelas felicitações recebidas em seu 85º aniversário natalício e seu 7º ano de pontificado.

Em seu discurso, antes do almoço, o Cardeal Ângelo Sodano, Decano do Colégio Cardinalício, disse que em sete anos de pontificado, o Papa “jamais deixou de convidar todos os fiéis a redescobrir os conteúdos da fé, de uma fé professada, celebrada, vivida e rezada, como bem recordou em sua Carta Apostólica Porta Fidei”.

O Cardeal Sodano ainda falou de Bento XVI como o “Bom Samaritano pelas estradas do mundo” que “continua a nos estimular ao serviço ao próximo, nos lembrando sempre as palavras de Jesus: ‘todas as vezes que deixastes de fazer isto a um destes pequeninos, foi a mim que o deixastes de fazer’”.

Após o almoço, por sua vez, de improviso, Bento XVI agradeceu “primeiro ao Senhor, por ter concedido tantos anos de vida com tantas alegrias e tempos esplêndidos, mas também de noites obscuras. Mas numa retrospectiva sabe-se que as noites eram necessárias e boas, motivo de agradecimento”.

E completou: “Hoje as palavras Ecclesia militans estão um pouco fora de moda, mas na realidade cada vez mais podemos melhor compreender que são verdadeiras. Vemos como o mal quer dominar o mundo e que é necessário empreender uma batalha contra o mal. Vemos como isso acontece de tantas maneiras, cruéis, com diversas formas de violência, mas também mascarado com o bem e assim destruindo os alicerces morais da sociedade”.

Citando Santo Agostinho, o Papa enfatizou: “toda a história é uma luta entre dois amores: amor a si mesmo até o desprezo de Deus, amor de Deus até o desprezo de si mesmo no martírio”

Nessa luta contra o mal, o Papa lembrou que é preciso ter amigos. “E, para mim, estou circundado pelos amigos do Colégio Cardinalício, que são meus amigos e me fazem sentir em casa. Me sinto seguro nessa companhia de grandes amigos que estão comigo e, todos juntos, com o Senhor”.

Por fim, antes de ser homenageado com um “Parabéns a você”, o Papa teve tempo de lembrar que o Senhor disse: “Coragem! Eu venci o mundo! Nós estamos no ‘time’ do Senhor, portanto estamos no ‘time’ vitorioso”.

Fonte: CN
Postar um comentário

Planeta Brasileiro