Sejam Bem-Vindos!

"É uma grandiosíssima calúnia dizer que tenho revoltas contra a Igreja. Eu nunca tive dúvidas sobre a Fé Católica, nunca disse nem escrevi, nem em cartas particulares, nem em jornais, nem em quaisquer outros escritos nenhuma proposição falsa, nem herética, nem duvidosa, nem coisa alguma contra o ensino da Igreja. Eu condeno tudo o que a Santa Igreja condena. Sigo tudo o que ela manda como Deus mesmo. Quem não ouvir e obedecer a Igreja deve ser tido como pagão e publicano. Fora da Igreja não há salvação."
Padre Cícero Romão Batista

quarta-feira, 17 de julho de 2013

JMJ muda rotina dos moradores de Guaratiba, Zona Oeste do Rio

Funcionários trabalham para acabar a montagem do palco no Campo da Fé. (Foto: Mariucha Machado/G1)Funcionários trabalham para acabar a montagem do palco no Campo da Fé. (Foto: Mariucha Machado/G1)











 O ar pacato de cidade do interior de Guaratiba, Zona Oeste do Rio, mudou desde o anúncio da visita do Papa Francisco à região. O entra e sai das máquinas e funcionários no terreno onde está sendo montado o Campo da Fé transformou a vida dos moradores e de quem está trabalhando para a realização do evento. Apesar de ainda ter muito barro no terreno, a assessoria de imprensa da Jornada Mundial da Juventude informou que as obras estão no prazo e que o problema da lama e das poças será resolvido até o dia do evento.
Funcionários da Prefeitura trabalham em Guaratiba. (Foto: Mariucha Machado/G1)Funcionários da Prefeitura trabalham na Zona
do Rio. (Foto: Mariucha Machado/G1)
Quem chega a Guaratiba encontra funcionários trabalhando em reparos e melhorias. Haroldo Nascimento, por exemplo, está há dois meses restaurantes as grades das pontes. Segundo ele, todo o trajeto do papa vai estar reformado. “A gente está arrumando tudo. As pessoas daqui até dizem que a gente só está fazendo isso porque ele [papa] vai chegar, ficam bravas e tudo. Mas é bom, vai ficar pra eles tudo direitinho, novo e eu estou muito feliz em fazer parte disso”, contou.
Moradora há 29 anos do bairro, Cristiane da Silva Siqueira está feliz com as melhorias na Estrada Capoeira Grande. “Aqui não tinha asfalto, eles arrumaram tudo, colocam quebra-molas, melhoraram a iluminação e colocaram até uma câmera pra ver como está o movimento”. Apesar de não ser católica a dona de casa tem uma foto do Papa Francisco na porta.
Moradora está feliz com as melhorias na infraestrutura do bairro. (Foto: Mariucha Machado/G1)Moradora está feliz com as melhorias no bairro.
(Foto: Mariucha Machado/G1)
Muita gente ainda está sendo contratada para prestar serviços durante a visita dos peregrinos do Campo da Fé. Mariulza Oliveira de Souza, Shirley Vieira e Tânia de Carvalho estavam nesta quarta-feira (17) felizes com o emprego para o setor de limpeza e ansiosas para o grande encontro com o Papa. “É uma energia muito boa. Estou louca para ele chegar. Eu já me emociono até de falar”, contou Mariulza de Souza. “São apenas de 17 dias, eu estava desempregada, mas só de estar pertinho dele já vale qualquer coisa”, acrescentou Shirley. Mesmo não sendo católica, Tânia acredita que a visita do Papa Francisco vai ser boa. “Eu sou da Igreja Universal, mas não critico nenhuma religião. Vai ser bom participar desde evento e esse dinheirinho vai ser abençoado”, falou.
Comerciantes aproveitam para fazer renda extra na JMJ. (Foto: Mariucha Machado/G1)Comerciantes aproveitam para fazer renda extra na
JMJ. (Foto: Mariucha Machado/G1)
Depois de morar em Brasília por 18 anos, dona Ana se mudou para o Rio com os três filhos após se separar. Para sustentar a família, ela montou uma barraquinha de lanche em uma das estações do BRT. Mas a pedido dos próprios funcionários e para dar um gás na renda, ela mudou o posto de trabalho para frente da entrada do Campo da Fé. Entre 6h30 e 10h cerca de cem clientes experimentam as gostosuras feitas por ela e a irmã.
“O pessoal da obra passou no BRT e pediu para eu vir pra cá. Eles pediam empadão, bolo de laranja e eu fui atendendo aos pedidos. Eles olham que é tudo limpinho e compram tudo. As pessoas elogiam o meu café. Eu não sou católica, mas tenho um respeito muito grande. Isso está me dando uma oportunidade de fazer uma renda extra. Com esse dinheiro, eu vou conseguir fazer os óculos da minha filha de 9 anos. Eu só tenho a agradecer. Desde que cheguei aqui não está faltando leitinho para os meu filhos”, contou.
Wallace Gomes está trabalhando há um mês na montagem dos postos médicos, da Polícia Militar e da sala da imprensa. “Dá muito orgulho trabalhar nesta estrutura, não é como qualquer outro trabalho. Este será mais um grande evento no meu histórico. Vou ver o Papa pela primeira vez e eu acho que ele vai surpreender quem estiver aqui”, disse Gomes.
Campo da Fé ainda tem muita lama. (Foto: Mariucha Machado/G1)Campo da Fé ainda tem muita lama.
(Foto: Mariucha Machado/G1)
Nesta quarta-feira (17) quem visitou o Campo da Fé ainda encontrou muita lama e funcionários trabalhando a todo vapor para acabar de montar o palco e a infraestrutura. Os peregrinos começam a chegar ao local no sábado (27) e ficam até domingo (28) para a missa de encerramento da Jornada Mundial da Juventude.
As placas de sinalização, as demarcações dos lotes, os 33 telões de led, as torres de som e luz, os banheiros químicos, os postos médicos, as lanchonetes, salas de imprensa e lojas com produtos oficiais já foram providenciados.
Infraestrutura
O terreno de 1,7 milhão de m² foi dividido em 22 lotes. A área de cada lote corresponde a sete campos do Maracanã. Cada lote terá pelo menos uma ilha de serviço, com venda de bebidas e comidas, além de torres de vigilância, banheiros químicos e bebedouros.
Segundo a organização da Jornada Mundial da Juventude, toda a água do Campus Fidei será potável. Para os dois dias foram estocados 12 milhões de litros de água. A estrutura foi a mesma utilizada nas Olimpíadas de Londres, em 2012.No local será montada um serviço de tratamento e reutilização da água.No percurso de 13 km até a chegada do Campus Fidei serão instalados pontos de hidratação a cada dois quilômetros.
Em Guaratiba, serão instalados 4.673 banheiros para os peregrinos, dos quais 270 são adaptados para pessoas com deficiência física. A estrutura terá ainda 615 lavatórios, 4.920 bebedouros e 2.016 posições de mictório.
Palco acabando de ser montado no Campo da Fé. (Foto: Mariucha Machado/G1)Palco acabando de ser montado no Campo da Fé. (Foto: Mariucha Machado/G1)
Postar um comentário

Planeta Brasileiro