Sejam Bem-Vindos!

"É uma grandiosíssima calúnia dizer que tenho revoltas contra a Igreja. Eu nunca tive dúvidas sobre a Fé Católica, nunca disse nem escrevi, nem em cartas particulares, nem em jornais, nem em quaisquer outros escritos nenhuma proposição falsa, nem herética, nem duvidosa, nem coisa alguma contra o ensino da Igreja. Eu condeno tudo o que a Santa Igreja condena. Sigo tudo o que ela manda como Deus mesmo. Quem não ouvir e obedecer a Igreja deve ser tido como pagão e publicano. Fora da Igreja não há salvação."
Padre Cícero Romão Batista

sexta-feira, 18 de março de 2011

Hoje, somos convidados a perdoar


Padre Ivan Paixão
Hoje, convido você a abrir a Palavra em Gênesis 1, 26-28.

Meus irmãos, essa Palavra nos traz uma verdade de fé da qual precisamos tomar posse. Deus nos fez à Sua imagem e semelhança. Isso para nós é uma alegria, pois somos feitos à imagem e semelhança de um Deus que nos criou e nos amou.

A Palavra nos diz: "Façamos o homem à nossa imagem e semelhança...". Há um plural aqui, por isso percebemos que a Santíssima Trindade nos fez semelhantes a Deus. Que graça, que maravilha descobrirmos que fomos desejados pelo Senhor! Sua vida é desejada por Ele, sua vocação ao amor é chamada por Ele. É justamente nessa base que temos condições de viver laços sadios.

Você é objeto de amor nas mãos do Pai. Todo e qualquer tipo de realidade pela qual tenhamos passado em nossa vida, precisamos compreender que somos desejados por Deus. Por isso não importa se os outros não nos amam nem nos acolhem, pois sabemos que somos amados pelo Senhor. Assim, assumimos a força do amor que nos coloca em pé para irmos ao encontro do outro e ensiná-lo, por meio das nossas atitudes, a amar.

Quem é esse Deus e como a Palavra O define? "Aquele que não ama não conhece a Deus, porque Deus é amor" (I João 4,8.16).

Meus irmãos, uma vez que passamos a assumir essa verdade de fé, compreendemos que o Senhor é amor. Isso muda muitas coisas em nossa vida, porque compreendemos que fomos feitos por um Deus que nos fez para amar; somente para isso. Amar não significa ter coisas, pois há pessoas ricas que não são felizes. Também não significa ter "status", pois há pessoas que têm altos cargos, mas também não são felizes. No entanto, quando alguém assume esse Deus, que é amor, este, sim, se realiza na vida!

Deus fez de você uma pessoa capacitada para amar, por isso, em seu coração, não pode haver a decisão de se apoiar na mágoa, no ressentimento, na ira. A sua vocação é o amor. Isso se torna uma revolução dentro de um mundo que se preocupa com coisas tão pequenas, tão secundárias, que não preenchem o nosso coração.

"Quando alguém assume esse Deus, que é amor, este, sim, se realiza na vida!"

Nós também compreendemos que esse mesmo Deus age em comunidade, em família, porque é Pai, é Filho e Espírito Santo. Então, Deus é família e isso deve ser enaltecido em nosso coração, porque quando Ele criou o homem à Sua imagem e semelhança, viu que era bom aos Seus olhos.

A vivência do amor de família tem como espelho a Santíssima Trindade. Precisamos observar esse relacionamento, pois Deus nos enviou Seu Filho – prova de amor – que se encarnou no meio de nós e nos lavou com Seu Sangue para que, novamente, tenhamos acesso ao Reino dos Céus. O Pai é todo no Filho e o Filho é todo no Pai. Esse amor é o Espírito Santo, que nos comunica a vivermos num local especial, escolhido pelo Senhor para cada um de nós: a família. É por meio dela que Deus quer aprendamos a amar.

Para que haja uma família, Deus Pai colocou no meio de nós o desejo, a atração, a beleza do homem e da mulher e nos deu a capacidade de procriar. Isso é graça divina: a mulher e o homem dentro da beleza do matrimônio.

O interessante é que, dentro da família, o Senhor trabalha em nós a força dos laços de sangue que serão para nós a condição de querermos sempre o melhor para o outro, o bem do outro; para que queiramos estar com o outro. Aqui está a base do amor comunicado por Deus em nós. Onde aprendemos a amar senão vendo o amor de um pai e de uma mãe num laço harmonioso? É na família que ensinamos nossos filhos a ter relacionamentos sadios.

Todos as fases de relacionamentos são ensinados por intermédio da família, com os exemplos. Por isso Deus nos uniu para que aprendêssemos a amar e a ensinar nossos filhos. Não importam as dificuldades. Se você se unir a Deus, Ele garantirá o seu matrimônio até o fimDo mesmo modo, se você se unir a Ele, seus filhos serão obedientes.

A sua casa tem sido uma casa de oração? Ela não está isenta de dificuldades, mas uma casa que se submete ao Senhor vive aquilo que Jesus nos ensinou na cruz, pois mesmo sendo crucificado e caluniado, Ele olhou para o céu e disse: "Pai, perdoa-lhes! Eles não sabem o que fazem!" (Lucas 23,34).

Estamos vivendo um tempo no qual as pessoas se desconhecem, perdem o sentido da vida, porque se afastam de Deus. Temos de ser os primeiros a nos dar a conhecer. E precisamos aprender também a perdoar, a tirar de nosso coração toda a sujeira para que deixemos de lado as mágoas. Hoje, somos convidados a amar. 
Postar um comentário

Planeta Brasileiro