Sejam Bem-Vindos!

"É uma grandiosíssima calúnia dizer que tenho revoltas contra a Igreja. Eu nunca tive dúvidas sobre a Fé Católica, nunca disse nem escrevi, nem em cartas particulares, nem em jornais, nem em quaisquer outros escritos nenhuma proposição falsa, nem herética, nem duvidosa, nem coisa alguma contra o ensino da Igreja. Eu condeno tudo o que a Santa Igreja condena. Sigo tudo o que ela manda como Deus mesmo. Quem não ouvir e obedecer a Igreja deve ser tido como pagão e publicano. Fora da Igreja não há salvação."
Padre Cícero Romão Batista

sábado, 2 de fevereiro de 2013

Os religiosos devem cuidar mais do carisma do que das obras


Um momento de renovação, transformação e retorno às origens. Descreveu a situação atual da vida religiosa Cardeal João Braz de Aviz, prefeito da Congregação para a Vida Consagrada.

Ele diz que, enquanto na Ásia, África e América Latina devem continuar a trabalhar para confirmar que todas as vocações que surgem são de boa fé, na Europa, EUA, Canadá e Austrália devem ir para o retorno aos ensinamentos dos fundadores e fortalecer comunidade de vida, mesmo que isso signifique a redução do tamanho.

CARD. João Braz de Aviz Prefeito da Congregação para a Vida Consagrada"A coisa mais importante não são as obras. Embora muitos são desenvolvidas, as obras são o resultado de um carisma. Devemos considerar se a trabalhar em muitas obras permanecem no carisma.Porque se o carisma não é mantido, as obras vão morrer.É melhor reduzir os trabalhos e voltar-se ao carisma. Ou seja, voltar para a mensagem fundamental dos fundadores focadas no Evangelho".

O cardeal destacou a importância de voltar às raízes e explica que já houve casos na história em que algumas congregações tiveram apenas um membro. No entanto, realmente vivido a sua missão e, em seguida, voltou a ser de 3.000 membros.

CARD. João Braz de AvizPrefeito da Congregação para a Vida Consagrada"Se nenhum centro é a graça pela qual a congregação nasceu, se não se importava para isso, porque às vezes não só membros não vivendo, mas não o superior, então o carisma morrerá. Mas não porque Deus quer, mas porque nós criamos as condições para que isso aconteça".

Outro desafio é a relação entre as ordens religiosas. O cardeal disse que devemos ir para uma maior comunhão entre elas.

CARD. João Braz de AvizPrefeito da Congregação para a Vida Consagrada"A Igreja tem que aprender a ajudar. Se um carisma sofre, precisa de outro que está em uma boa situação que possa ajudar. Mas em todos os sentidos: economicamente, a formação das vocações. Muitas coisas podem ser feitas em conjunto para ajudar. Às vezes estamos demasiado isolados e isso nos prejudica ".

O Cardeal João Braz de Aviz, diz que mais importante é a autenticidade da missão que o número de membros ou instituições. Ele vê sinais de esperança, mesmo sabemos que ainda há muito trabalho a ser feito.

Fonte: RomeRerpots.com
Tradução: Cesar da Rocha Pires

Fonte: Blog Católico com muito orgulho
Postar um comentário

Planeta Brasileiro