Sejam Bem-Vindos!

"É uma grandiosíssima calúnia dizer que tenho revoltas contra a Igreja. Eu nunca tive dúvidas sobre a Fé Católica, nunca disse nem escrevi, nem em cartas particulares, nem em jornais, nem em quaisquer outros escritos nenhuma proposição falsa, nem herética, nem duvidosa, nem coisa alguma contra o ensino da Igreja. Eu condeno tudo o que a Santa Igreja condena. Sigo tudo o que ela manda como Deus mesmo. Quem não ouvir e obedecer a Igreja deve ser tido como pagão e publicano. Fora da Igreja não há salvação."
Padre Cícero Romão Batista

quarta-feira, 20 de junho de 2012

Instrumento de trabalho para o Sínodo dos Bispos é apresentado


Foi apresentado na manhã desta terça-feira, 19, na Sala de Imprensa da Santa Sé o chamado “Instrumentum Laboris”, Instrumento de Trabalho da 13ª assembleia geral ordinária do Sínodo dos Bispos, que acontecerá no Vaticano de 7 a 28 de outubro próximo sobre o tema “A nova Evangelização para a Transmissão da Fé Cristã”.

Acesse
Íntegra do documento

A coletiva de imprensa foi conduzida por D. Nicola Eterovic, Secretário Geral do Sínodo e por D. Fortunato Frezza, sub-secretário. Eles apresentaram o conteúdo deste Instrumento de Trabalho que é praticamente a ordem do dia do Sínodo.
O documento articula-se em duas partes: uma introdução em que é explicada as razões da escolha do tema deste Sínodo, e uma segunda parte em que se ilustra o esquema do Instrumento de Trabalho, parte esta composta por quatro capítulos.
Dom Nicola Eterovic explicou que na base da escolha deste tema está a urgente tarefa de transmitir às novas gerações o Evangelho de Cristo, sem interrupção do processo de transmissão da fé, e isto o no âmbito da nova evangelização. Com efeito a reflexão sinodal será enriquecida pela ligação deste tema com o Ano da fé, desejado pelo Papa Bento XVI e que terá início a 11 de outubro, durante o Sínodo. Isto em comemoração do 50º aniversário do início do Concilio Vaticano II e do 20º aniversário da publicação do Catecismo da Igreja Católica."
O Secretário Geral do Sínodo explicou depois que o Instrumentum Laboris resulta das respostas das 114 Conferências Episcopais do mundo inteiro, dos 13 sínodos dos Bispos das Igrejas Orientais e dos 26 Dicastérios da Cúria Romana ao chamado Lineamenta que lhe tinha sido enviado em fevereiro de 2011.
De forma geral a expectativa em relação a este Sínodo expressa nessas respostas é que infunda uma nova energia nas comunidades cristãs e dê respostas concretas aos quesitos sobre a evangelização no mundo atual, pois se sente a necessidade de novos instrumentos e novas expressões para tornar compreensível a palavra de Deus nos ambientes da vida do homem contemporâneo.
Os quatro capítulos do Instrumento de trabalho são dedicados respectivamente a: Jesus Cristo, Evangelho de Deus para o homem; Tempo de nova evangelização; transmissão da fé; e reavivar a ação pastoral.
No primeiro capítulo “Jesus Cristo, Evangelho de Deus para o homem” põe-se em relevo o núcleo central da fé cristã, que muitos ignoram no mundo de hoje. Procura-se, por isso, propor o Evangelho de Cristo como Boa Nova também para o homem contemporâneo. Aqui sublinha-se mais uma vez a vocação fundamental da Igreja de anunciar o Evangelho.
Já o segundo capítulo é dedicado essencialmente aos desafios atuais da evangelização e à descrição da nova evangelização.

Passa-se depois, no terceiro capítulo, à finalidade da nova evangelização e à transmissão da fé. A Igreja transmite a fé que ela própria vive. Todos os cristãos são chamados a dar o seu contributo. Por fim, o quarto capítulo, intitulado “Reavivar a ação pastoral” sublinha que a transmissão da fé no contexto da nova evangelização repropõe os instrumentos amadurecidos ao longo da Tradição da Igreja e, de modo particular, o primeiro anuncio, a iniciação cristã e a educação, procurando adaptá-los às actuais condições culturais e sociais. 
Postar um comentário

Planeta Brasileiro