Sejam Bem-Vindos!

"É uma grandiosíssima calúnia dizer que tenho revoltas contra a Igreja. Eu nunca tive dúvidas sobre a Fé Católica, nunca disse nem escrevi, nem em cartas particulares, nem em jornais, nem em quaisquer outros escritos nenhuma proposição falsa, nem herética, nem duvidosa, nem coisa alguma contra o ensino da Igreja. Eu condeno tudo o que a Santa Igreja condena. Sigo tudo o que ela manda como Deus mesmo. Quem não ouvir e obedecer a Igreja deve ser tido como pagão e publicano. Fora da Igreja não há salvação."
Padre Cícero Romão Batista

sexta-feira, 8 de junho de 2012

Arcebispo primaz do Brasil lança nota sobre eleições municipais




O Arcebispo de Salvador (BA), Dom Murilo Krieger, scj, primaz do Brasil, divulgou nesta quarta-feira, 6, uma nota com orientações sobre a participação dos católicos nas eleições municipais, nos dias 7 e 28 de outubro deste ano.

Na nota, Dom Murilo ressalta que a autêntica ação política está profundamente enraizada na construção do bem comum da sociedade, portanto, para os católicos, essa ação é consequência do compromisso de viver o Evangelho no cotidiano.

Para favorecer essa ação, a arquidiocese destacou alguns critérios a serem observados para que cada um exerça o dever de votar com consciência.

Sobre o valor do voto, recomenda-se ao leitor que reflita sobre os critérios de escolha dos candidatos, analise as propostas e procure informações confiáveis sobre eles.  "Avalie, com cuidado, as campanhas dos candidatos, a quantidade de dinheiro gasto e as promessas feitas. Verifique se eles terão condições de cumprir o que estiverem prometendo. Atenção especial deve ser dada à propaganda enganosa, à oferta de dinheiro ou a favores que visem enganar o eleitor", destaca a nota.

Outro ponto ressaltado é que o eleitor deve procurar informar-se sobre o programa do partido do candidato, para saber se é coerente com os valores que a comunidade política deve tutelar em busca do verdadeiro bem comum.

Dentre esses valores, a nota ressalta "a defesa da vida, desde a concepção até o seu fim natural, e a da dignidade do ser  humano; a defesa da família, segundo o plano de Deus; a garantia da liberdade de educação, que comporta a boa qualidade da escola pública e a defesa da escola particular, salvaguardando o ensino religioso confessional e plural, de acordo com o princípio constitucional da liberdade religiosa, reconhecido no recente Acordo entre o Brasil e a Santa Sé".

Por fim, a arquidiocese enfatiza que a Igreja Católica não tem partidos ou candidatos próprios, por força de sua missão universal, porém, incentiva que o voto seja dado a candidatos que sejam "capazes de apresentar e executar propostas adequadas aos desafios sociais" mais importantes das cidades: a educação, saúde, segurança, trabalho, transporte, saneamento e pobreza. 
Postar um comentário

Planeta Brasileiro