Sejam Bem-Vindos!

"É uma grandiosíssima calúnia dizer que tenho revoltas contra a Igreja. Eu nunca tive dúvidas sobre a Fé Católica, nunca disse nem escrevi, nem em cartas particulares, nem em jornais, nem em quaisquer outros escritos nenhuma proposição falsa, nem herética, nem duvidosa, nem coisa alguma contra o ensino da Igreja. Eu condeno tudo o que a Santa Igreja condena. Sigo tudo o que ela manda como Deus mesmo. Quem não ouvir e obedecer a Igreja deve ser tido como pagão e publicano. Fora da Igreja não há salvação."
Padre Cícero Romão Batista

domingo, 29 de abril de 2012

Sacertote deve dar a vida pelas ovelhas, enfatiza Papa




Nesta Missa, foram ordenados 9 diáconos dos seminários diocesanos de Roma
Neste 4º Domingo de Páscoa, às 9h (pelo horário de Roma), o Papa Bento XVI presidiu a Santa Missa, na Basílica Vaticana, na qual foram ordenados nove diáconos dos seminários diocesanos romanos. Entre eles, oito se tornaram sacerdotes da Diocese de Roma, e um, formado no Almo Colégio Caprinica, foi ordenado para a Diocese de Bui Chu, no Vietnã.

Em sua homilia, o Papa destacou que este é o domingo do Bom Pastor, primeira característica do sacerdote: “O bom pastor dá a própria vida pelas ovelhas” (Jo 10,11).
Acesse
.: NA ÍNTEGRA: Homilia de Bento XVI - 4º Domingo de Páscoa – 29/04/2012

“Jesus insiste sobre esta característica essencial do verdadeiro pastor que é Ele próprio: aquela de ‘dar a própria vida’. A figura bíblica do pastor, que compreende principalmente o dever de reger o povo de Deus, de mantê-lo unido e guiá-lo, toda essa função régia, se realiza plenamente em Jesus Cristo na dimensão sacrificante, na oferta da vida”, destaca o Pontífice.

O sacerdote é, de fato, aquele que vem inserido de um modo singular no mistério de Sacrifício de Cristo, com uma união pessoal a Ele, para prolongar Sua missão santificadora. O Santo Padre esclarece ainda que a dimensão eucarística-sacrificadora é inseparável daquela pastoral e também constitui o núcleo de verdade e de força salvadora, na qual depende a eficácia de cada atividade.

“Naturalmente, não falamos da eficácia somente sobre o plano psicológico ou social, mas da fecundidade vital da presença de Deus a nível humano profundo. A própria pregação, as obras, os gestos de vários gêneros que a Igreja realiza com suas múltiplas iniciativas, perderiam sua fecundidade salvadora se não fosse celebrado o Sacrifício de Cristo”, destaca Bento XVI.

Ele reforça que é somente através desta “porta” de Sacrifício pascal que os homens e as mulheres de todos os tempos e lugares podem entrar na vida eterna. E, por fim, ele lembrou aos novos ordenamos que quanto o peso da cruz torna-se pesado, esta é a hora mais preciosa, tanto para eles quanto para as pessoas a eles confiadas.

“Renovando com fé e com amor o vosso ‘sim, com a ajuda de Deus eu quero’, vocês cooperaram com Cristo, Sumo Sacerdote e Bom Pastor, no apascentamento de Suas ovelhas – talvez a única coisa que lhes foi pedido, mas para o qual se faz grande festa no Céu!”, conclui o Papa.

Fonte: CN
Postar um comentário

Planeta Brasileiro