Sejam Bem-Vindos!

"É uma grandiosíssima calúnia dizer que tenho revoltas contra a Igreja. Eu nunca tive dúvidas sobre a Fé Católica, nunca disse nem escrevi, nem em cartas particulares, nem em jornais, nem em quaisquer outros escritos nenhuma proposição falsa, nem herética, nem duvidosa, nem coisa alguma contra o ensino da Igreja. Eu condeno tudo o que a Santa Igreja condena. Sigo tudo o que ela manda como Deus mesmo. Quem não ouvir e obedecer a Igreja deve ser tido como pagão e publicano. Fora da Igreja não há salvação."
Padre Cícero Romão Batista

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Os jovens entenderam o coração de João Paulo II, afirma bispo

''João Paulo II percebeu a força da juventude e a necessidade de se valer dela para dar uma fisionomia à Igreja'', afirmou Dom Altieri


"Os jovens entenderam o coração de João Paulo II", afirmou o Bispo de Caraguatatuba (SP) e responsável pelo Setor Juventude do Regional Sul 1 da CNBB, Dom Antonio Carlos Altieri. 

Segundo ele, "a juventude conseguiu captar o amor desse homem de Deus" e, por sua vez, "João Paulo II percebeu a força da juventude e a necessidade de se valer dela para dar uma fisionomia à Igreja, que tem a novidade de Cristo. Portanto, [a Igreja] é eternamente jovem. Deus não envelhece", destacou. 


O bispo recordou que, nos últimos dias de vida do futuro beato, estava em Roma e se dirigiu à Praça São Pedro para rezar pela saúde de João Paulo II. "Ao chegar lá, me deparei com uma multidão de jovens que tinha chegado antes. Diversos grupos com orações, cantos, velas, bandeiras, melodias, dialogavam com ele. O Papa chegava a escutar, do leito de morte, esse rumor da juventude e com muita emoção, disse: 'Busquei-vos. Agora viestes para me ver. Agradeço-vos'. Foram umas de suas últimas palavras. Eu diria que foi uma realização para ele, um coroamento da sua grande missão", afirmou. 

Após a morte de João Paulo II, foram os jovens que, com faixas, gritaram o "Santo Já", recorda Dom Altieri. "Eles já tinham essa intuição de que ele foi alguém que trouxe a novidade de Jesus Cristo, cumpriu sua missão e, portanto, tinham esse "título" já marcado no coração deles. Se anteciparam àquilo que, oficialmente, a Igreja agora, em sua prudência, após examinar exigentemente, o proclama beato". 

Jornada Mundial da Juventude 

O Papa João Paulo II tinha um carisma especial com os jovens e foi ele quem instituiu a Jornada Mundial da Juventude (JMJ), em 1985. Desde então, jovens vindos de todo o mundo se reúnem, a cada dois anos, para se encontrar com o Santo Padre.

Enilda Rocha, membro da Comunidade Canção Nova, participou da Jornada Mundial no Jubileu do ano 2000, no Vaticano. Ela conta com emoção, que se sentiu muito tocada quando João Paulo II disse aos jovens: "Jovens de cada continente, não tenhais medo de serem os santos do novo milênio”. 

De fato, fomos criados para ser santos, afirma Enilda. Ela recorda ainda que na homilia, o Papa afirmou aos jovens: "Vós levareis o anúncio de Cristo ao novo milênio. Voltando para casa, não vos isoleis. Confirmai e aprofundai a vossa adesão à comunidade cristã a que pertenceis. Daqui de Roma, da Cidade de Pedro e Paulo, o Papa acompanha-vos com afeto e, parafraseando uma afirmação de Santa Catarina de Sena, disse: 'Se fordes aquilo que deveis ser, colocareis fogo no mundo inteiro!'".

"O Papa foi um grande líder e evangelizador", diz Enilda. "Com sua vida, [João Paulo II] nos indicava Jesus, o Verbo de Deus, que abria para cada jovem as portas da Igreja e acreditava neles como futuro da Igreja". 

Enilda recordou ainda a pergunta do Papa, quando estava na Praça São Pedro, em 2000: "A  vossa viagem não é uma qualquer, se vos pusestes a caminho, não foi apenas por razões de diversão ou cultura. Então, vos pergunto: Quem é que viestes procurar? A resposta só pode ser uma: 'Viestes à procura de Jesus Cristo! Ele que, todavia, foi o primeiro a procurar-vos'", recorda Enilda. 


Postar um comentário

Planeta Brasileiro