Sejam Bem-Vindos!

"É uma grandiosíssima calúnia dizer que tenho revoltas contra a Igreja. Eu nunca tive dúvidas sobre a Fé Católica, nunca disse nem escrevi, nem em cartas particulares, nem em jornais, nem em quaisquer outros escritos nenhuma proposição falsa, nem herética, nem duvidosa, nem coisa alguma contra o ensino da Igreja. Eu condeno tudo o que a Santa Igreja condena. Sigo tudo o que ela manda como Deus mesmo. Quem não ouvir e obedecer a Igreja deve ser tido como pagão e publicano. Fora da Igreja não há salvação."
Padre Cícero Romão Batista

quinta-feira, 14 de julho de 2011

O coração que acolhe o mundo


O Sagrado Coração de Jesus é quem nos acolhe em nome da Santíssima Trindade e ao acolher o Senhor nos fala: “Vinde a mim todos os que estais cansados sob o peso do vosso fardo e vos darei descanso. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração, e encontrareis descanso para vossas almas, pois meu jugo é suave e meu fardo e leve.”(1)
O Senhor nos convida a entrar em seu coração e depositar os nossos fardos pesados e sofridos de cada dia. O coração de Jesus é manso e humilde, e por isso acolhe a todos sem distinção. O coração de Cristo recebe os nossos sofrimentos, as nossas dificuldades diárias; é este coração manso e humilde que ao acolher-nos coloca-se a palmilhar conosco as estradas pedregosas de nossa existência.
Cristo, o Bom Pastor cuida de nós como a mãe cuida de seus filhos. Uma mãe ama todos os seus filhos, no entanto, esse amor é particular e singular para cada um de seus filhos, ou seja, uma mãe ama cada filho de um jeito. Esse mesmo amor de mãe é nos dado pelo Coração de Jesus, o qual está sempre aberto para nos receber e dar-nos descanso. O coração de Jesus nos convida a se achegar e junto desta fonte de água viva reabastecer as nossas energias.
O coração de Cristo nos convida a deixar nossos ‘jugos’ e nossos ‘fardos’ que são pesados e difíceis de carregar e tomar o seu jugo e o seu fardo que são suaves e leves. Mas, então, o que vem a ser este ‘jugo’ e ‘fardo’. A palavra ‘jugo’ denota a canga, ou seja, a junta de boi; e a palavra ‘fardo’ indica peso, opressão. Assim, Cristo nos convida a deixar nossa pesada canga, a qual nos oprime, aquela canga, aquele jugo de nossos pecados que por vezes nos fadigam tanto com seus enormes pesos. Depositando nossos jugos e nossos fardos aos pés de Cristo somos convidados a entrar em seu coração e beber desta água e deste sangue que no alto da cruz jorrou e nutrir-nos com o verdadeiro amor e então assumimos sobre nossos ombros o jugo e o fardo de Cristo que é leve e suave.
Após deixar aos pés de Cristo nossos ‘jugos’ e ‘fardos’ ele nos convida a aprender de seu coração que é manso e humilde. Aprender do próprio coração santo a ser manso significa ser dócil, brando, amoroso, receptível para com todos, é ir de modo pacifico contra as injustiças e as agressões que nos afetam. Ter o coração manso, como o do Senhor é saber amar o inimigo, é saber olhar nos olhos do irmão e ver nele muito mais do que seus defeitos e valorizar suas qualidades. Aprender do Coração do Senhor a ser humilde é ser irmão de toda criatura, é ser igual a todos, é ser ‘húmus’.
O lugar de nosso descanso é o Coração de Jesus que acolhe o mundo. Coração este que nos faz repousar em verdes pastagens, e não nos deixa faltar nada. Assim, como o salmista podemos então entoar:
O Senhor é o meu pastor, nada me faltará.
Em verdes pastagens me faz repousar.
Para as água tranqüilas me conduz e restaura minhas forças; ele me guia por caminhos justos, por causa do seu nome.
Ainda que eu caminhe por vale tenebroso nenhum mal temerei, pois estás junto a mim; teu bastão e teu cajado me deixam tranqüilo.
Diante de mim preparas a mesa, à frente dos meus opressores; unges minha cabeça com óleo, e minha taça transborda.
Sim, felicidade e amor me seguirão todos os dias da minha vida; minha morada é a casa do Senhor por dias sem fim. (2)
Nossa morada é o Coração do Senhor.
Frei Osvaldo Maffei, OFM
Postar um comentário

Planeta Brasileiro