Sejam Bem-Vindos!

"É uma grandiosíssima calúnia dizer que tenho revoltas contra a Igreja. Eu nunca tive dúvidas sobre a Fé Católica, nunca disse nem escrevi, nem em cartas particulares, nem em jornais, nem em quaisquer outros escritos nenhuma proposição falsa, nem herética, nem duvidosa, nem coisa alguma contra o ensino da Igreja. Eu condeno tudo o que a Santa Igreja condena. Sigo tudo o que ela manda como Deus mesmo. Quem não ouvir e obedecer a Igreja deve ser tido como pagão e publicano. Fora da Igreja não há salvação."
Padre Cícero Romão Batista

quarta-feira, 19 de junho de 2013

A Virtude da Castidade




Todos nós somos chamados a viver a Castidade e a buscar a Santidade. Mas o que seria Castidade?

"§2345 A castidade é uma virtude moral. É também um dom de Deus, uma graça, um fruto da obra espiritual. O Espírito Santo concede o dom de imitar a pureza de Cristo àquele que foi regenerado pela água do Batismo...

§2348 Todo batizado é chamado à castidade. O cristão "se vestiu de Cristo", modelo de toda castidade. Todos os fiéis de Cristo são chamados a levar uma vida casta segundo seu específico estado de vida. No momento do Batismo, o cristão se comprometeu a viver sua afetividade na castidade."

§2349 "A castidade há de distinguir as pessoas de acordo com seus diferentes estados de vida: umas na virgindade ou no celibato consagrado, maneira eminente de se dedicar mais facilmente a Deus com um coração indiviso; outras, da maneira como a lei moral determina, conforme forem casados ou celibatários." As pessoas casadas são convidadas a viver a castidade conjugal; os outros praticam a castidade na continência....

C.15.8 Coração puro e castidade

§2518 A sexta bem-aventurança proclama: "Bem-aventurados os puros de coração, porque verão a Deus" (Mt 5,8). A expressão "puros de coração" designa aqueles que entregaram o coração e a inteligência às exigências da santidade de Deus, principalmente em três campos: a caridade, a castidade ou a retidão sexual, o amor à verdade e à ortodoxia da fé. Existe um laço de união entre a pureza do coração, do corpo e da fé:

Os fiéis devem crer nos artigos do símbolo, "para que, crendo, obedeçam a Deus; obedecendo, vivam corretamente; vivendo corretamente, purifiquem seu coração; e, purificando o coração, compreendam o que crêem".

§2520 O Batismo confere àquele que o recebe a graça da purificação de todos os pecados. Mas o batizado deve continuar a lutar contra a concupiscência da carne e as cobiças desordenadas. Com a graça de Deus, alcançará a pureza de coração:

-pela virtude e pelo dom da castidade, pois a castidade permite amar com um coração reto e indiviso;

-pela pureza de intenção, que consiste em ter em vista o fim verdadeiro do homem; com uma atitude simples, o batizado procura encontrar e realizar a vontade de Deus em todas as coisas;

-pela pureza do olhar, exterior e interior; pela disciplina dos sentimentos e da imaginação; pela recusa de toda complacência nos pensamentos impuros que tendem a desviar do caminho dos mandamentos divinos: "A desperta a paixão dos insensatos" (Sb 15,5);

-pela oração.

§2532 A purificação do coração exige a oração, a prática da castidade, a pureza da intenção e do olhar.

C.15.10 Espírito Santo na origem da virtude da castidade

§1832 Os frutos do Espírito são perfeições que o Espírito Santo forma em nós como primícias da glória eterna. A Tradição da Igreja enumera doze: "caridade, alegria, paz, paciência, longanimidade, bondade, benignidade, mansidão, fidelidade, modéstia, continência e castidade" (Gl 5,22-23 vulg.).

§2341 A virtude da castidade é comandada pela virtude cardeal da temperança, que tem em vista fazer depender da razão a paixões e os apetites da sensibilidade humana.

§2395 A castidade significa a integração da sexualidade na pessoa. Inclui a aprendizagem do domínio pessoal.

Vida Consagrada e Castidade

§915 Os conselhos evangélicos, em sua multiplicidade, são propostos a todo discípulo de Cristo. A perfeição da caridade à qual todos os fiéis são chamados comporta para os que assumem livremente o chamado à vida consagrada a obrigação de praticar, a castidade no celibato pelo Reino, a pobreza e a obediência. E a profissão desses conselhos em um estado de vida estável reconhecido pela Igreja que caracteriza a "vida consagrada" a Deus.

§944 A vida consagrada a Deus caracteriza-se pela profissão pública dos conselhos evangélicos de pobreza, de castidade e de obediência em um estado de vida permanente reconhecido pela Igreja."

Texto retirado do Catecismo da Igreja Católica
Vale a pena ressaltar Castidade não é a mesma coisa de Celibato, como muita gente pensa. Cada um é chamado a viver a castidade de acordo com seu estado de vida. A castidade consiste em trabalhar bem a afectividade de maneira que seja equilibrada, bem resolvida e canalizada, podendo-se conviver com o sexo oposto, de maneira pura, sem malícias e tratar as pessoas com respeito e amizade.
Casamento e Castidade
Os casados são chamados a serem fiéis, ser fiel é ser casto, no caso do matrimónio. É ter fidelidade aos compromissos assumidos no casamento. Também os conjugues devem manter o leito conjugal sem mancha, que seria a pureza de suas intenções e a honestidade de seu trato, num contexto de cumplicidade e de amor verdadeiro. Devem cumprir fiel e sinceramente o dever conjugal, pois tudo o que serve para a transmissão da vida é, não só lícito, como louvável.

Castidade dos Solteiros

Para o solteiro, castidade, pela sua abrangência conceptual, tem, o sentido de manter-se virgem (casto, puro), até o casamento. Viver em continência, com pureza de intenção e de pensamentos, cultivando os valores da amizade e do respeito.
Os namorados devem procurar conhecer um ao outro interiormente, ou seja, a personalidade, a maneira de pensar e de agir, de reagir nas situações da vida, os sentimentos, e não o corpo, no sentido sexual.
Segundo a moral cristã a castidade purifica o amor e o eleva, é a melhor forma de compreender e sobretudo de valorizar o amor.

Virtudes Auxiliares da Castidade
- O pudor (sentinela de defesa da castidade);
- A humildade: faz desconfiar de si mesmo e confiar em Deus, fugindo do pecado;
- A vigilância constante: deve-se vigiar sempre os pensamentos e sentimentos, para agir com pureza de intenção e não pecar;
- A mortificação: o jejum e outras penitências ajudam a exercitar a virtude do auto controlo;
- A laboriosidade: aplicação nos estudo e cumprimento das próprias obrigações, que previne os males e perigos decorrentes da ociosidade. "Cabeça vazia, oficina do diabo";
- A caridade: ou seja o amor de Deus, que, enchendo o coração o desocupa de afectos desordenados (Deus caritas est);
- A piedade: virtude que leva à devoção e à oração. Nós católicos cultivamos a devoção à Virgem Maria como protectora da virtude da castidade e também a denominamos de "Santa Pureza".

As Ofensas Graves Contra a Castidade

- luxúria: constitui uma busca desordenada do prazer venéreo, vício do sexo, uma vez que é buscado exclusivamente por si mesmo;
- masturbação: acto gravemente desordenado;
- fornicação: as relações sexuais fora do matrimónio e as relações pré-matrimoniais;
- homossexualidade: é contraria à lei natural, fecha o ato sexual ao dom da vida;
- pornografia: desnaturaliza a finalidade do ato sexual e coisifica as pessoas;
- prostituição;
- violação ou estupro;
- pedofilia;
- o incesto.

A SOCIEDADE ACTUAL ESTÁ TÃO IMPREGNADA NA LAMA DA EROTIZAÇÃO, DA BANALIZAÇÃO DO SEXO E DA PORNOGRAFIA QUE NÃO ENTENDE O VALOR DO AUTO DOMÍNIO, DA TEMPERANÇA, DA CASTIDADE E DA PUREZA...
Postar um comentário

Planeta Brasileiro